Contos

Minha primeira vez

Antonio de Araújo
Escrito por Antonio de Araújo

Finalmente… depois de tanto tempo de espera, chegou a minha primeira vez…

Os dias que antecederam o grande dia foram marcados por muita preparação física e psicológica, pois ao chegar aquele momento, o dia D, precisaria encontrar-me bem, muito bem, física e psicologicamente.

Enfim, o grande dia raiou. E nada melhor que um belo dia de Domingo, que amanhecia maravilhoso com céu azul e perspectiva de um dia ensolarado; aquele para mim seria o Domingo que entraria para a história, pois afinal, seria a minha primeira vez…

Coloquei minha melhor roupa, meu perfume predileto e como qualquer jovem imaturo e sem experiência… estava impaciente e com o coração acelerado; os momentos que antecederam aquele encontro, eram marcados pelo nervosismo, intranquilidade e incertezas. Será que vai dar certo? Será que sairei bem? Será? Será? Será?

Dúvidas, muitas dúvidas surgiram, mas para vencê-las, procurava me apoiar em depoimentos e experiências que outros jovens já passaram.

Utilizando-me dessa estratégia, consegui controlar-me e encontrar certa confiança no “meu taco”. Peguei meu carro conversível impecavelmente limpo, perfumado e com um brilho na lataria invejável – parecia espelho.

Durante o percurso, liguei o toca-fitas, uma melodia romântica para relaxar e melhorar o astral. Em poucos minutos já estava no local marcado, cheguei com antecedência para realizar um momento de preparação psicológica, afinal este seria o encontro que marcaria para sempre minha vida, quebraria um tabu de anos, era minha primeira vez… e a primeira vez ninguém esquece!

O relógio marcava a hora do encontro, fechei o carro, passei pelo portão de lanças douradas, avistando aquele belo jardim com as mais lindas flores. Ao chegar ao início da escadaria o tremor foi aumentando… um calor insuportável tomou conta do meu interior, mais forte palpitava o coração, o rosto e as mãos suando frias, quase não sentia as pernas.

Fiquei preocupado, pois diante de tanto nervosismo achei que nada daria certo, seria uma frustração e esta primeira vez tão esperada acabaria sendo adiada.

Consegui conter-me e continuei subindo a escada, ao deparar-me com aquela imensa sala, lá estava ela… uma profunda troca de olhar durante alguns minutos silenciosos.

A tensão veio forte, o coração acelerado, o tremor…

Enfim, o encontro esperado realizava-se. Sentindo a falta de experiência não conseguia dirigir sequer uma palavra.

Apanhei-a em minhas mãos perfumadas e molhadas de suor. Depois de minuciosa análise, percebi que estava completamente perdido sem saber por onde começar, porém dei início, fui com tudo… detrás para frente, de frente para trás, do meio para trás, do meio para frente.

Fui rápido e objetivo, o suor escorria por todo corpo.

Lembrava daqueles que passaram por essa experiência terem dito que são exatamente esses os sintomas de quem passa pela primeira vez.

Depois de muito trabalho consegui chegar ao final…

Estava realizado…

O tesão foi completo quando aquela linda mulher de olhos verdes e cabelos louros, fitou meus olhos e surpresa disse: “- Parabéns! Saiu-se muito bem! Consegui acertar 100% das questões.”

Quase desmaiei, vibrei de alegria com o resultado alcançado e divulgado pela professora de matemática.

Comentários

Print this entry

Sobre o Autor

Antonio de Araújo

Antonio de Araújo

Poeta, paulista da cidade de Osasco S.P e autor do livro “Semente do Amor”, tendo sua 2ª Edição publicada na XIX Bienal Internacional do Livro/S.P

Obrigado por visitar o nosso site.

Facebook
%d blogueiros gostam disto: