taedium vitae

by Claudio B Carlos | 12/07/2017 08:57

não oferecerei resistência. não serei eu a desviar o curso dos caprichos divinos. não que me falte vontade. não que não me sobre indignação. apenas tenho tédio. falta-me ânimo. ficarei aqui sentado enquanto este bafo quente varre o terreiro, enquanto os vermes resfolegam na carne de pêssegos maduros que se desprendem do pé, enquanto moscas azuladas e gordas cumprem seu destino de depositar ovos em cães, homens e outros bichos, enquanto o charque seca no varal, enquanto o charco se forma de água, terra e bosta de galinhas que pisam e repisam seu fadário burro… não serei eu a levantar daqui, a quebrar este encantamento de coisas e animais que como que hipnotizados vivem e morrem, são e estão, sem saber como nem porquê, quem apodrece e quem viceja, quem é que escolhe isto ou aquilo… estou aqui sentado. não resisto. não por mim, é que isto já foi decidido. então sigo parado, quieto. só o meu pensar é que pulsa, mas isto não tem importância. de que vale o pensamento se o esboço já vem de antes traçado? só me resta esparramar-me, ocupar um lugar até que seja, de fato, obra conclusa sob um revoar de corvos crocitantes: carne podre sobre terra fétida…

Comentários

Compartilhe isso:

Curtir isso:

Endnotes:
  1. [Image]: https://www.pinterest.com/pin/create/button/?url=http%3A%2F%2Fcronicascariocas.com%2Fcolunas%2Fcontos%2Ftaedium-vitae%2F&media=http%3A%2F%2Fcronicascariocas.com%2Fwp-content%2Fuploads%2F2017%2F07%2Ftaediumvitae.jpg&description=taedium%20vitae
  2. Tweet: https://twitter.com/share

Source URL: http://cronicascariocas.com/colunas/contos/taedium-vitae/