Crônicas

Amor

Roberto Ferrari
Escrito por Roberto Ferrari

Ah!! O amor palavra tão fácil de ser falada, mas um sentimento difícil de ser sentido. Digo isto, pois o sentimento em si é lindo, mas tem que vir acompanhado de outras coisas para ser verdadeiro, sincero, para ser aquele que vem do fundo da alma, aquele que é fado pelo coração.

O amor sem fidelidade, sem respeito, sem cumplicidade, é um sentimento de propriedade, pois queremos que a outra pessoa seja submissa e nos achamos no direito de fazer tudo o que bem entendermos.

É uma situação que difere totalmente de uma relação benéfica, de uma relação equilibrada, enfim a relação de quem ama deve ser plena de satisfação.

As pessoas podem me perguntar: como que você o poeta do amor consegue falar de forma tão equilibrada sobre uma relação de amor?

Respondo a todos que o amor continua sendo emoção sem muita razão, entrega total e muita química entre as pessoas, mas que querer os complementos que fazem a felicidade é obrigatório e muito normal de ser exigido.

Pergunto a todos aqueles que pensam na infidelidade, vocês gostariam que seu companheiro (a) cometesse alguma infidelidade contra vocês?

Lógico que não, então antes de pensar em cometer um ato impensado, conte até dez e esfrie a cabeça. Vale muito mais ter aquela pessoa que te ama e respeita ao seu lado do que partir para uma aventura sem futuro, mas se você achar que pode ser sério, não traia, termine antes a relação antiga para começar outra.

Não pense em testar para ver se vai dar certo, pois assim você estará magoando a outra pessoa e se machucando sem perceber.

Vocês podem me perguntar por que escrevi um texto desses do nada, e eu responderei que quanto mais vivo, quanto mais amo, mais me sinto a vontade de externar meu modo de ser na esperança de poder ajudar alguma pessoa que venha a ler o texto ou mesmo

Comentários

Print this entry

Sobre o Autor

Roberto Ferrari

Roberto Ferrari

Roberto Ferrari nasceu em São Paulo no ano de 1957, e se formou engenheiro e fez duas pós-graduações. Aos 54 anos de idade resolveu seguir sua real vocação: Escrever. Roberto iniciou sua carreira literária em 2011 e já publicou os livros: Sublime Amor, Ventos da Paixão, Identidade Assassina, Fundamental como o Amor, Refúgio da Alma, Negócios de Sangue, Intenso como a Vida, Mansão Molnár, Juras Apaixonadas, O Ceifador de Almas e Suplício de Amor.
Roberto Pertence a varias Academias de Letras e é Presidente da ACLASP- Academia de Ciências, Letras e Artes de São Paulo.
Roberto já recebeu diversas homenagens e entre elas pode-se destacar a feita pela ABRASCI que o elegeu para ocupar a cadeira de nro 39, cujo patrono é Vinicius de Moraes. No transcorrer de sua curta carreira, Roberto já participou de mais de 100 Antologias Poéticas. Como ele mesmo diz o trabalho em prol da cultura, é árduo, porém dignificante.

Facebook
%d blogueiros gostam disto: