Crônicas

CRÔNICA DA CATALUNHA

Campista Cabral
Escrito por Campista Cabral

A crônica não é possível depois de tanta selvageria e estupidez promovidas pela polícia espanhola em Barcelona.

A crônica não é possível depois que mais um demente lunático metralha centenas de pessoas em Las Vegas.

A crônica não é possível depois de mais um míssil lançado pela Coréia.

A crônica não é possível depois que Donald Trump abre a boca para falar alguma coisa.

E toda vez que se tira uma ou milhares de vidas, o mundo fica mais pobre e a crônica silencia.

E toda vez que se rouba um sonho, individual ou coletivo, tira-se a identidade e a crônica silencia.

E toda vez que o argumento da força vence e faz jorrar sangue nos quatro cantos do globo, a crônica silencia…

Quando a vida brota da terra ou quando o amor e o respeito transparecem nas palavras e ações das pessoas, a crônica se alimenta, se ergue e diz coisas boas de um mundo distorcido.

Apesar de Brasília, apesar das horas mortas, apesar da morte nas estradas, apesar dos Temeres, apesar de tudo, a crônica pulsa!

Neste momento, no entanto, a crônica precisa não dizer nada!

 

Comentários

Print this entry

Sobre o Autor

Campista Cabral

Campista Cabral

Escritor, poeta e cineasta amador. Publicou quatro livros. O REI, O POETA, A MULHER E O MAR (contos), TERRA BRASILIS (crônicas), PARA ENTENDER UMA NOVA EDUCAÇÃO (livro voltado para os problemas da educação no século XXI) e FORMAÇÃO DOCENTE E PRÁTICAS INOVADORAS (livro sobre novas práticas docentes no ensino superior). Realiza anualmente o FESTIVAL DE CINEMA DE TERESÓPOLIS e, dentre alguns trabalhos na área, destaque para o filme NOITES COM SOL (2011) e os documentários PALAVRAS (2008), CAMINHOS EUCLIDIANOS (2012) e O QUE É FELICIDADE? (2013). Escreve regularmente para o Escritartes (www.escritartes.com) e Recanto das Letras (www.recantodasletras.com)

%d blogueiros gostam disto: