Crônicas

Dez para Uma – Dois Mil e Dezessete

Dez para Uma – Dois Mil e Dezessete
Bia Mies
Escrito por Bia Mies

Há dois relógios na cozinha, um parou às dez para uma, não sei se madrugada ou tarde, dia, mês nem ano. Ele figura ali, como peça decorativa na parede em cuja a mesa de quatro cadeiras encosta-se. O tempo congelado numa moldura de aço inox; a sensação de que há tempo para tudo. “Ainda são dez para uma, por que não tomamos mais um café?”

É primeiro de janeiro, todos dormem, menos a Mia. Mia me espera com olhos sorridentes à porta do meu quarto. Vou ao banheiro, lavo o rosto, não sei que horas são, daqui vejo apenas um dos relógios, e ele está parado. Hoje é primeiro de janeiro, domingo. Comum do dia, o ano começa cansado, distraído e espreguiçando-se. Mia, não.  Me pede para abrir a porta da área, eu penso que ela precisa fazer xixi, mas ela quer apenas inspecionar cada cantinho desse pedacinho de paraíso, que tem tão-somente quatro cantos, uma mangueira, duas cadeiras de alumínio, um cachepot semi coberto por parte do que um dia foi um majestoso eucalipto, plantado por ninguém menos do que o famoso paisagista francês, Glaziou. Sobre este tronco, um buxinho e minha doce Cipollina, planta que eu, corajosa e “bem-sucedidamente”, trouxe de avião de Roma há quase 3 anos. Para completar a decoração, um cacto sobre rodízio e o tapete sobre o ralo no qual Mia faz suas necessidades. Todos dormem, menos Mia, e os passarinhos que cantam em um coral delicioso, o ano e as boas venturas que se iniciam.

Todos dormem, eu escrevo e sou observada pela imensidão azul que paira, tranquila, acima das torres de moradias que cercam e limitam meus olhos a essa restrita parte de paisagem urbana. As orquídeas na janela piscam para mim e Mia me olha incrédula; vou voltar para a cama. Hoje é dia de sonhar bastante, criar perspectivas para o mês que descortina o ano, e o ano-futuro que já começou.

Feliz 2017!!

Comentários

Print this entry

Sobre o Autor

Bia Mies

Bia Mies

Carioca, nascida em 1988, de origens itaiana-suíça-portuguesa, cronista, artista, arquiteta, atriz, urbanista; do mundo...
Esta autora escreve aos Domingos.

Obrigado por visitar o nosso site.

Facebook
%d blogueiros gostam disto: