Crônicas

Evandro Teixeira: de testemunha ocular a poeta do cotidiano

Tchello d'Barros
Escrito por Tchello d'Barros

“Acredito sinceramente que existem
coisas que ninguém veria, se eu não as tivesse fotografado.”

Diane Arbus

Todo mundo sabe que Evandro Teixeira é um dos maiores nomes do fotojornalismo brasileiro e mundial. É mais de meio século fotografando e suas imagens se confundem com nossa história, inclusive de partes de uma história que muitos só têm acesso, como os anos de chumbo de nosso Brasil, mediante as imagens desse sempre intrépido repórter fotográfico.

Porém, são fotografias que transcendem o factual, o registro da notícia, a informação visual do fato. O conjunto da obra produzida durante o período da ditadura militar no Brasil, para além de sua função documental, forma uma crônica de época, um relato em P&B de um tempo em que resistência e liberdade eram palavras de ordem de uma geração que questionava os poderes instituídos e literalmente lutava por mudanças.

Estamos falando de fotografias que só foram possíveis de ser realizadas por conta de uma postura, de uma atitude, a ação de estar dentro da cena, dentro do núcleo da história que acontecia ao redor do fotógrafo e sua lente denunciadora. Falamos de estar dentro do olho do furacão dos conflitos entre povo e poder, dos atritos entre desejo de democracia e autoridades totalitárias. Isso é sentir a história acontecendo na retina e na objetiva, mas também na própria pele. Apanhar, se necessário, mas sobretudo, apanhar a foto!

Sendo uma fotografia, mais que uma opinião, toda uma construção cultural, quem conhece o homem além do fotógrafo, sabe de seu lado contador de histórias, muitas das quais mais saborosas que as próprias imagens. Quiçá essa verve seja a ponte que faz com que suas imagens continuem contando os fatos de um tempo que muitos gostariam de esquecer mas que as novas gerações necessitam conhecer, nesses tempos de tantas selfies em manifestações de rua. E quem conhece sua obra mais de perto sabe de seu inconfundível estilo, ora artístico, ora irônico, a apontar tantas vezes, por oposição, a crueza da realidade e as contradições de nosso estar no mundo.

A boa notícia é que Evandro Teixeira continua fotografando, sempre atento as coisas de seu/nosso tempo. Continua nos mostrando recortes da vida e segue na crença de que fotografia pode formar opinião e pode influenciar as pessoas que mudam o mundo, seja por sua faceta política, seja por sua vertente poética.

Comentários

Print this entry

Sobre o Autor

Tchello d'Barros

Tchello d'Barros

Escritor e Curador de Artes Visuais. Realiza editorias independentes e curadorias em diversas instituições culturais.

Obrigado por visitar o nosso site.

Facebook
%d blogueiros gostam disto: