Crônicas

INCONFIDÊNCIAS E DELAÇÕES

Campista Cabral
Escrito por Campista Cabral

Ao pé do ouvido, num canto escuro ou atrás da porta. Esgueirando, espreitando e esquadrejando tudo e todos a todo tempo.

De dia ou de noite, em qualquer momento.

Alguns falam de amor e de amar e adoram, nesse sentido, aumentar.

Outros, rancorosos, falam por falar!

Outros mais, contudo, não têm nada de original. É simplesmente a vida do outro, o circunstancial!

Não importando o vizinho, importando apenas o próprio quintal!

E, desse modo, as inconfidências escrevem e reescrevem da Terra Brasilis a história!

E haja, para tantos números e nomes, a memória!

São tantas vozes e dedos e palavras de acusação. É como esporte e prazer. O certo é o estrago! O negócio, se houver benefício, é deixar todo mundo igual!

Alguns dizem a verdade, enquanto muitos descaradamente mentem!

Muitos escondem a verdade, depois contam e mais adiante desmentem!

E dessas coisas entende bem a capital federal. Desmentir e falar mal!

Mas falar mal na decadente cidade avião é mais que inconfidência, é necessidade e sobrevivência!

A coerência da incoerência!

Jânio, Juscelino, Jango, os militares e tantos ais!

Engravatados biônicos, camaradas atônitos e tantos mais!

São apenas alguns exemplos do disse-me-disse, de golpes, de revoluções, de heróis e marginais.

Aos cantos e de ouvidos atentos, os inconfidentes dizem que corromperam, que subornaram, que desviaram e que negaram…

Mas quem corrompeu, subornou, desviou ou negou?

Condução coercitiva e delação premiada são capazes de quase revelar.

E entre bons e maus, entre mortos e feridos ou entre crimes e bandidos, restam os escombros de uma pátria perplexa!

De Joaquim Silvério dos Reis às várias bocas da Odebrecht, vive-se de contar alguma coisa. Mentiras e verdades, verdades e mentiras…

Talvez nunca saibamos distinguir completamente…

Mas uma coisa é certa: muitas verdades se confundem com muitas mentiras e muitas mentiras, por sua vez, têm siglas, nomes e sobrenomes de verdade…

 

Comentários

Print this entry

Sobre o Autor

Campista Cabral

Campista Cabral

Escritor, poeta e cineasta amador. Publicou quatro livros. O REI, O POETA, A MULHER E O MAR (contos), TERRA BRASILIS (crônicas), PARA ENTENDER UMA NOVA EDUCAÇÃO (livro voltado para os problemas da educação no século XXI) e FORMAÇÃO DOCENTE E PRÁTICAS INOVADORAS (livro sobre novas práticas docentes no ensino superior). Realiza anualmente o FESTIVAL DE CINEMA DE TERESÓPOLIS e, dentre alguns trabalhos na área, destaque para o filme NOITES COM SOL (2011) e os documentários PALAVRAS (2008), CAMINHOS EUCLIDIANOS (2012) e O QUE É FELICIDADE? (2013). Escreve regularmente para o Escritartes (www.escritartes.com) e Recanto das Letras (www.recantodasletras.com)

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: