Crônicas

Nem A nem B

Campista Cabral
Escrito por Campista Cabral

E mais uma vez falam em golpe! Golpe de quem? Golpe de quantos?

Golpe é uma palavra que deve ser usada sempre, não para A ou B!

Golpe é o que fazem todos os dias com os brasileiros!

Golpe é o que deixam como restos de guerra: um país falido e desacreditado!

Golpe é o que, continuamente, fazem com as crianças da periferia: violência e morte!

Golpe é a recente história de uma república de bananas!

Parece que, se você faz todas as considerações e aponta a corrupção de “A”, você, automaticamente é “B” e, sendo “B”, você é estigmatizado, marginalizado, colocado como um alienado ou desvairado e também culpado! Como se um dos lados fosse o “mocinho da história”.

Não sou “A” e tampouco “B”!

E não há mocinhos!

Estou escrevendo isso porque apontam para mim como se eu fosse culpado por achar que o governo que enfim sai de cena deveria permanecer! Permanecer por quê? Escândalos após escândalos? Nomes após nomes?

Dirão alguns que a corrupção continua!

Sim. Nunca deixou de ocorrer. Entretanto, o erro geral não pode nunca justificar absolutamente nada!

Com a minha tomada de posição não estou defendendo governo algum!

Todos, rigorosamente, naufragam e levam nossos sonhos e nossa energia!

Todos, efetivamente, vão na contramão, nos descaminhos…

Ao considerar o governo que ora sai um desastre absurdo e monumental, não isento outros nomes e legendas da responsabilidade pelo desastre na Terra Brasilis, pelo contrário, há muitos responsáveis…

Está tudo errado! E volto a insistir no sistema viciado e patético da nossa pátria desolada…

O problema é que, quando as cortinas se fecham e depois se abrem para novo ato, os personagens são sempre os mesmos!

Sempre os mesmos!

E a grande História já nos mostrou ditadores, genocidas e farsantes em todos os lugares do mundo! Há que se ter cuidado… e muito…

Não importa se entram à esquerda ou à direita do palco…

Comentários

Print this entry

Sobre o Autor

Campista Cabral

Campista Cabral

Escritor, poeta e cineasta amador. Publicou quatro livros. O REI, O POETA, A MULHER E O MAR (contos), TERRA BRASILIS (crônicas), PARA ENTENDER UMA NOVA EDUCAÇÃO (livro voltado para os problemas da educação no século XXI) e FORMAÇÃO DOCENTE E PRÁTICAS INOVADORAS (livro sobre novas práticas docentes no ensino superior). Realiza anualmente o FESTIVAL DE CINEMA DE TERESÓPOLIS e, dentre alguns trabalhos na área, destaque para o filme NOITES COM SOL (2011) e os documentários PALAVRAS (2008), CAMINHOS EUCLIDIANOS (2012) e O QUE É FELICIDADE? (2013). Escreve regularmente para o Escritartes (www.escritartes.com) e Recanto das Letras (www.recantodasletras.com)

Obrigado por visitar o nosso site.

Facebook
%d blogueiros gostam disto: