Crônicas

O lobo e o cordeiro

Claudia G. R. Valle
Escrito por Claudia G. R. Valle

É no mínimo curiosa a polêmica em torno do burkini. Todo mundo está consciente de que, não faz tanto tempo assim, as mulheres eram perseguidas no Ocidente por mostrarem demais o corpo. Agora são perseguidas por não mostrarem? Não tem lógica: as mulheres, que antes não podiam se despir na praia, atualmente são obrigadas a fazê-lo?

O debate passa pelo conceito de decência, um conceito para lá de relativo. Tentar explicar isso, ainda mais quando o assunto se mistura a crenças religiosas, é impossível. Creio que o homem seja o único animal que vê erotismo no escondido, mas sinto dificuldade em acreditar que uma mulher esclarecida, de livre e espontânea vontade, cubra a cabeça para evitar que a visão de seus cabelos desencadeie nos machos próximos uma fúria avassaladora Enfim…

Para respeitar o politicamente correto, os verdadeiros motivos da proibição do uso do burkini nas praias francesas, claros como água, não aparecem explicitamente na discussão. As pessoas se esforçam para encontrar argumentos que embasem a proibição e não magoem ninguém, mas, sem tocar a fundo o problema, todos não passam de desculpas esfarrapadas.

De alguma maneira, a situação me lembra o diálogo da fábula do lobo e do cordeiro: quando o lobo está a fim de jantar o cordeiro, qualquer desculpa serve, mas depois de esgotar todas elas, não precisa de pretexto algum.

Não adianta querer posar de bom moço tentando justificar o injustificável, é preciso encarar o problema de frente. A Europa tem medo do fanatismo. Pressente que isso pode destruir o que mais preza: a liberdade individual. Como combatê-lo sem quebrar, ela mesma, as regras que tanto luta para preservar? O europeu está dividido entre o ideal de liberdade e o temor real de que essa liberdade se deixe massacrar. O dilema é tão antigo quanto a história da humanidade, e a própria Europa já foi bem diferente, que o digam as guerras religiosas e as colonizações.

No entanto, aqui e agora, torço pelo lado europeu, e acho que vou acabar alinhando com o lobo, quem diria? Consolo-me porque na vida real, onde os bichos não falam, pelo menos os lobos e os cordeiros, ninguém é totalmente lobo nem totalmente cordeiro. E neste episódio o cordeiro me parece muito mais lobo do que cordeiro.

Comentários

Print this entry

Sobre o Autor

Claudia G. R. Valle

Claudia G. R. Valle

De Algarve, mas mora no Rio de Janeiro. Já foi professora e matemática. Em suas crônicas, aborda temas leves e bem humoradas, e do cotidiano moderno. Acredita que rir ainda é o melhor remédio e que o riso também é capaz de provocar reflexões profundas.

Obrigado por visitar o nosso site.

Facebook
%d blogueiros gostam disto: