Crônicas

O significado do Natal

Roberto Ferrari
Escrito por Roberto Ferrari

Natal, época de alegrias, de comemorações e de amor. Todas as vezes que penso nesta época me pergunto: Porque durante o ano temos um comportamento diferente?

A resposta a esta pergunta está na própria essência do ser humano, ser competitivo e a tal ponto de fazer tudo a seu alcance para conquistar seu objetivo ou pior, não deixar que o outro tenha sucesso e seja feliz. Quem ler esta pequena crônica pode me julgar uma pessoa rancorosa e vai pensar que como é possível que o Poeta do Amor tenha estes pensamentos.

Não se trata de pensar desta forma e sim de analisar o que acontece no dia a dia e é mostrado em jornais, revistas ou mesmo em uma conversa com um amigo. As pessoas precisam aprender a cultivar o espírito do Natal todos os dias, ou seja, amar, respeitar, ajudar e praticar boas ações.

É inacreditável como existem pessoas que oram a Deus frequentemente e assim que podem começam a maldizer outras pessoas ou a praticar o mal. Não é o fato de se orar em quantidade que nos torna mais próximos do Criador e sim a quantidade de boas ações que praticamos todos os dias.

A finalidade deste texto é alertar sobre o espírito natalino e sua importância para a humanidade, pois através dele poderemos almejar um futuro de paz e amor. Outro dia vi uma imagem sensacional, uma bomba atômica de rosas e que tinha um significado lindo: O mundo precisa de uma bomba atômica de amor!

Será maravilhoso o dia que viveremos pelo amor e procuraremos nos ajudar, construindo assim um planeta melhor para vivermos.

A transformação deve começar dentro de nossa própria casa, vamos amar mais, respeitar mais, vamos nos esquecer das diferenças e sempre ajudar o próximo, só assim viveremos na plenitude o espírito natalino.

O mundo precisa de amor entre as pessoas e esta é uma revolução que devemos começar já.

Comentários

Print this entry

Sobre o Autor

Roberto Ferrari

Roberto Ferrari

Roberto Ferrari nasceu em São Paulo no ano de 1957, e se formou engenheiro e fez duas pós-graduações. Aos 54 anos de idade resolveu seguir sua real vocação: Escrever. Roberto iniciou sua carreira literária em 2011 e já publicou os livros: Sublime Amor, Ventos da Paixão, Identidade Assassina, Fundamental como o Amor, Refúgio da Alma, Negócios de Sangue, Intenso como a Vida, Mansão Molnár, Juras Apaixonadas, O Ceifador de Almas e Suplício de Amor.
Roberto Pertence a varias Academias de Letras e é Presidente da ACLASP- Academia de Ciências, Letras e Artes de São Paulo.
Roberto já recebeu diversas homenagens e entre elas pode-se destacar a feita pela ABRASCI que o elegeu para ocupar a cadeira de nro 39, cujo patrono é Vinicius de Moraes. No transcorrer de sua curta carreira, Roberto já participou de mais de 100 Antologias Poéticas. Como ele mesmo diz o trabalho em prol da cultura, é árduo, porém dignificante.

%d blogueiros gostam disto: