Crônicas

OLHOS NOS OLHOS

Campista Cabral
Escrito por Campista Cabral

Olhar nos olhos do outro e saber o que outro quer…

Parece algo mágico, assombroso, inacreditável, difícil mesmo de acontecer!

Entretanto, neste século pós-tudo, olhamos cada vez menos para o outro e vemos menos com nossos próprios olhos as pessoas, as coisas e o mundo ao nosso redor, e aí, percebemos melhor a real situação: mais desumanizados ficamos!

Olhamos pela tela do telefone, olhamos pela câmera, olhamos pelo webcam, olhamos para dispositivos, olhamos para isso e para aquilo, mas não olhamos olho no olho!

Olhar no olho é conhecer.

Olhar no olho é preocupar-se com.

Olhar no olho é ser sincero.

Olhar no olho é reconhecer e reconhecer-se!

Olhar no olho é ser distinta e simplesmente humano!

Hoje, olhamos para baixo! Somos cabisbaixos! Curvados, silenciosos!

Hoje, confiamos na tela e nas pequenas mensagens de texto!

Hoje, não olhamos mais o outro!

Não quero dizer com isso que a tecnologia digital é o grande vilão da história, mas temos o desastroso hábito de ficarmos dependentes de tudo! Tudo é muito fácil e rápido! Em razão disso, para facilitar ainda mais a nossa vida, criamos aplicativos para comer, para sorrir, para olhar, como se precisássemos realmente dessas coisas.

O pior, depois de criados os monstrengos, temos a sensação de como foi possível viver sem essas coisas!

Quando deixamos de ver e viver a vida de fato e de direito e deixamos que traquitanas eletrônicas vivam por nós, algo está muito errado!

É preciso, antes de qualquer coisa, desligar-se um pouco de cabos e sinais, olhar mesmo a cidade e as pessoas…

Olhar, simples assim…

 

Comentários

Print this entry

Sobre o Autor

Campista Cabral

Campista Cabral

Escritor, poeta e cineasta amador. Publicou quatro livros. O REI, O POETA, A MULHER E O MAR (contos), TERRA BRASILIS (crônicas), PARA ENTENDER UMA NOVA EDUCAÇÃO (livro voltado para os problemas da educação no século XXI) e FORMAÇÃO DOCENTE E PRÁTICAS INOVADORAS (livro sobre novas práticas docentes no ensino superior). Realiza anualmente o FESTIVAL DE CINEMA DE TERESÓPOLIS e, dentre alguns trabalhos na área, destaque para o filme NOITES COM SOL (2011) e os documentários PALAVRAS (2008), CAMINHOS EUCLIDIANOS (2012) e O QUE É FELICIDADE? (2013). Escreve regularmente para o Escritartes (www.escritartes.com) e Recanto das Letras (www.recantodasletras.com)

%d blogueiros gostam disto: