Crônicas

OS SALVADORES DA PÁTRIA

Campista Cabral
Escrito por Campista Cabral

Collor, Lula, Bolsonaro e Luciano Huck parecem perfis bem diferentes…

Mas, independente de ideologias, “verdades” e o blá blá blá de sempre, as quatro pessoas mencionadas acima possuem em comum o fato de, guardadas as devidas questões temporais e os devidos aspectos sociais de cada um, terem encarnado ou encarnarem a tosca figura de salvadores da pátria!

Eis o problema crônico da Terra Brasilis (além dos canalhocratas): esperar que uma única criatura entre tantas criaturas seja o líder a guiar e resolver as mazelas do Brasil.

Muitos outros nomes podem ser lembrados, mas me atenho ao tempo da redemocratização.

O caçador de marajás, o homem do povo, o político “autêntico” e o não político. Eis os nossos últimos salvadores!

Eles causam estardalhaço por onde passam. Causam discussão, divisão e confusão. Não estar com eles é como se você fosse contra o próprio país!

Não sei se Huck concretizará sua candidatura, mas a partir do momento em que seu nome figurou nas principais pesquisas, ganhou o status de diferente, do cara que é de fora da política… Só alguém assim, dizem muitos, poderia dar um jeito na bagunça! Olha o “salvador da pátria” aí!

Não sei se Bolsonaro levará a disputa, mas sei que é outro nome alçado ao posto! Diz o que pensa! É autêntico! Fala de tudo e de todos! É o político honesto, dizem os admiradores! Olha outro “salvador” saindo do forno!

Lula e Collor já escreveram e entortaram as suas histórias.

Milhares de brasileiros acreditaram em um e em outro!

Foram os salvadores de seu tempo: o jovem presidente na luta contra os corruptos e o homem pobre do sertão que chegou ao cargo mais importante do Brasil!

Falharam ambos!

E não será diferente com qualquer outro que assuma, em razão dos outros ou por conta própria, o peso de salvar o país…

Enquanto buscarmos salvadores, não teremos um país sério de verdade!

O sistema político eleitoral cria inúmeras aberrações: candidatos com pouquíssimos votos assumem legislaturas. Como assim?

Nosso querido sistema dá aos partidos um poder de escolha que retira do cidadão o real valor de democracia. Os suplentes e o voto na legenda são o suprassumo democrático brasileiro!

Esse pobre e patético sistema, por conta do famigerado foro privilegiado, encastela indivíduos, distanciando-os mais do povo e do mundo real!

Como acreditar então que, de acordo com as regras atuais, alguém possa contribuir para o crescimento do país?

Não acredito em salvadores da pátria!

Na verdade, sempre que aparecem os ditos salvadores, o que menos salvam é justamente a pátria!

Lá fora, prometendo força e patriotismo, vociferando um cego nacionalismo, Chávez, Maduro, Hitler, Mussolini e tantos mais, arrasaram seu povo, sufocaram as vozes e armaram o mundo!

Lá fora, o pequeno e atrevido ditador norte coreano dá as mãos a Putin e a Trump.

Aqui, no curto espaço de tempo, na loucura desta terra sem vergonha, a injusta reforma trabalhista (fortalecendo sobremaneira a terceirização) já assombra os trabalhadores.

Aqui, no curto espaço de tempo, na hipocrisia desta terra de ninguém, a terrível reforma da previdência ganha corpo e assombra os brasileiros…

O que esperar de um país em que o errado é o certo?

Flâmulas vermelhas, bandeirolas azuis e folhetos de todas as cores vão surgindo, criando nomes, empurrando gostos e acenando, uma vez mais, para a ilusão de que alguém salvará o país da tragédia…

Comentários

Print this entry

Sobre o Autor

Campista Cabral

Campista Cabral

Escritor, poeta e cineasta amador. Publicou quatro livros. O REI, O POETA, A MULHER E O MAR (contos), TERRA BRASILIS (crônicas), PARA ENTENDER UMA NOVA EDUCAÇÃO (livro voltado para os problemas da educação no século XXI) e FORMAÇÃO DOCENTE E PRÁTICAS INOVADORAS (livro sobre novas práticas docentes no ensino superior). Realiza anualmente o FESTIVAL DE CINEMA DE TERESÓPOLIS e, dentre alguns trabalhos na área, destaque para o filme NOITES COM SOL (2011) e os documentários PALAVRAS (2008), CAMINHOS EUCLIDIANOS (2012) e O QUE É FELICIDADE? (2013). Escreve regularmente para o Escritartes (www.escritartes.com) e Recanto das Letras (www.recantodasletras.com)

%d blogueiros gostam disto: