Crônicas

Pelo Menos um Minuto

Claudia G. R. Valle
Escrito por Claudia G. R. Valle

Sei que a esta altura do campeonato isto pode soar como uma bobagem, mas de vez em quando ainda me surpreendo com as mensagens que recebo. Tenho certeza de que se as pessoas examinassem com um pouco mais de cuidado o conteúdo do que repassam muitos disparates deixariam de ser disseminados. Amigos meus, que gosto e respeito, por favor, pensem um pouco antes de encaminhar absurdos.

Algumas mensagens enganosas são difíceis de detectar, mas outras são besteiras tão óbvias que se a pessoa pensar um minuto, ou menos, vai descartá-las imediatamente. De vez em quando, recebo uma dizendo que certo mês terá cinco sextas-feiras, cinco sábados e cinco domingos e que este fato só acontece uma vez a cada oitocentos e vinte e três anos, portanto trata-se da minha derradeira chance de presenciar tal fenômeno.

Não sei exatamente porque devemos nos deliciar com um mês que tem cinco sextas-feiras, cinco sábados e cinco domingos, mas olhando para o calendário com um pouco mais de cuidado fica claro que qualquer mês de trinta e um dias que comece numa sexta feira terá essa qualidade suprema. Julho de 2016 é assim e planejo estar viva até lá, porém, se meus planos não derem certo, fiquem sabendo que já garanti o fenômeno em maio de 2015. No entanto, as pessoas aceitam a teoria dos tais próximos oitocentos e vinte e três anos sem pestanejar. Francamente!

O texto dessa mensagem ainda sugere que você a repasse para todos os seus contatos, explicando que os chineses chamam tal mês de “bolso cheio de dinheiro” e, que se você obedecer, dentro de uns dias também vai receber um dinheirinho extra. Será que é por esperança que tanta gente encaminha o e-mail?

Ou será que é por medo da ameaça que se segue? Porque o texto continua assim: baseado no Feng Shui chinês, quem não transmitir esta mensagem vai perder a grande oportunidade de ganhar um bom dinheiro. Feng Shui neste contexto? Gente, pensem por um minuto, por favor!

Imagino as gargalhadas (virtuais) de quem inventou tal baboseira ao vê-la espalhar-se pela rede. Deve ser uma glória observar um monte de gente perdendo tempo, eu inclusive, com essa asneira. Mas se um ou dois dos amigos de alguém ficar um pouco mais crítico em relação ao conteúdo das mensagens que ajuda a divulgar, então já valeu a pena.

Comentários

Print this entry

Sobre o Autor

Claudia G. R. Valle

Claudia G. R. Valle

De Algarve, mas mora no Rio de Janeiro. Já foi professora e matemática. Em suas crônicas, aborda temas leves e bem humoradas, e do cotidiano moderno. Acredita que rir ainda é o melhor remédio e que o riso também é capaz de provocar reflexões profundas.

Obrigado por visitar o nosso site.

Facebook
%d blogueiros gostam disto: