Crônicas

Que mundo é esse? Um pouco sobre política e estupidez

Bia Mies
Escrito por Bia Mies

Elbert Green Hubbard, filósofo e escritor norte americano falecido em 1915 na Irlanda, disse uma vez: “O gênio pode ter suas limitações, mas a estupidez, não“. Bertrand Russell, matemático, filósofo e lógico inglês, Nobel de literatura em 1950, escreveu: “A principal causa dos problemas do mundo atual é que os estúpidos são extra seguros, enquanto os inteligentes estão cheios de dúvidas“. As duas citações, embora concebidas em continentes e épocas distintas, são bastante coerentes entre si e com o panorâma mundial contemporâneo.

Contra todas as expectativas, acordamos na última quarta-feira com um milionário eleito pela potência mais importante da Terra – um cidadão rico, nacionalista e extremamente preconceituoso -, mais uma notícia na sequência de estupidez que o Brasil tem presenciado.  Através da mídia e das redes sociais, eu e muitos seres ao redor do globo nos perguntamos: “que mundo é esse?”. Os Estados Unidos saem de um governo de 8 anos liderado por um democrata negro para voltar aos anos de preconceito e subordinação. Por aqui, Renan Calheiros tenta aprovar o PL 280, uma Lei para, teoricamente, coibir abusos. Países que foram subjugados em algum momento de sua história devem por bem ser os mais democráticos em termos de cor de pele e imigrações, devem prezar por livre comércio, turismo e bem estar social. Isso, penso eu, é a teoria perfeita. Não construir muros. Mas eu não entendo de política.

No Brasil, por 8 anos, um líder dos trabalhadores assumiu o poder. Seria um passo e tanto numa melhoria na diferença de classes. Logo em seguida, a primeira mulher a se tornar presidente. Seria um panorama promissor, não fosse tudo o que uma imagem assertiva escondia por trás de tantas máscaras: a sujeirada descoberta com a lava jato, por exemplo, as inumeras CPIs… tudo isso parece um retrocesso político, um país de terceiro mundo que preza por crescimento, mas avança no sentido oposto à prosperidade econômica e política. Acho tudo isso errado. Mas eu não entendo de politica.

Eu não entendo de política, sou leiga em relações internacionais e econômicas. Mas não sou estúpida; tenho dúvidas e minhas limitações. Friedrich Schiller completa meus questionamentos: “nem mesmo os Deuses tem poder sobre a estupidez humana“. Os governantes, entretanto, seja nos Estados Unidos ou aqui, estão sempre cheios de si. Se nem mesmo os Deuses podem confrontar os estúpidos, eu lhes pergunto: que país e mundo são esses?

Comentários

Print this entry

Sobre o Autor

Bia Mies

Bia Mies

Carioca, nascida em 1988, de origens itaiana-suíça-portuguesa, cronista, artista, arquiteta, atriz, urbanista; do mundo...
Esta autora escreve aos Domingos.

Obrigado por visitar o nosso site.

Facebook
%d blogueiros gostam disto: