Crônicas

Resposta ao gringo que falou mal do Brasil lá fora

Francci Lunguinho
Escrito por Francci Lunguinho

por Francci Lunguinho*

Voltou a circular pela internet o texto de um homem, supostamente norte-americano, que viveu por três anos na cidade de São Paulo e que publicou uma lista com onze motivos pelos quais ele odiou morar no Brasil.

Confesso que não levei muito a sério da outra vez que o texto foi publicado e repetido por dezenas de milhares de vezes nas redes sociais. Na época, houve uma divisão entre os que eram a favor das opiniões do americano e os que eram contra a ideia de um gringo voltar para o seu país falando mal do nosso. Na ocasião, não quis entrar na briga. Mas, como a internet adora relembrar as coisas do passado, o texto veio à tona, desta vez com mais força, com um número bem maior de brasileiros apoiando esses insultos à terra-brasilis, posto de forma equivocada e parcial pelo visitante forasteiro. Estamos num momento politicamente delicado, as opiniões se destoam e transforma-se em ferramentas para acintes e discussões acirradas. Mas nem por isso podemos nos distanciar das análises verdadeiras.

Sou um patriota, mas também tenho falado mal do meu país por aí, sobretudo dos políticos que nos representam. Todavia, não gosto de ver o nosso nome na lama, por isso, elaborei uma lista, também de 11 pontos, para contrapor aos argumentos por ele apresentados.

Abaixo, reescrevo, em itálico, os itens da lista para em seguida e em negrito, expor as minhas ideias sobre o quão esse americano está errado em relação a nossa gente a aos nossos valores.

Eis o seu primeiro item:

1 – Os brasileiros não têm consideração com as pessoas fora do seu círculo de amizades e muitas vezes são simplesmente rudes. Por exemplo, um vizinho que toca música alta durante toda a noite… E mesmo se você vá pedir-lhe educadamente para abaixar o volume, ele diz-lhe para você ir se fu… E educação básica? Um simples “desculpe-me”, quando alguém esbarra com tudo em você na rua simplesmente não existe.

Resposta ao 1 é, particularmente para mim, a parte mais fácil.

1 – Brasileiros são um povo solícito. É capaz de dividir o pouco que tem com qualquer um que esteja precisando; que realmente esteja precisando. Como nordestino que sou, posso afirmar com convicção que, por lá, esse gringo iria encontrar pessoas inversamente proporcional àquelas que ele conheceu por onde andou. Aliás, o carioca é assim também. Na Bahia, Minas, Sul e norte, Centro-Oeste ou em toda e qualquer esquina do país tem gente do bem: é só parar para conversar por alguns minutos que saberá. Agora, no que diz respeito a rudez que o americano se deparou, é mais ou menos por aí mesmo, ou seja, se o sujeito chegar aqui com a arrogância e a superioridade típicas daqueles que se acham acima dos países latinos, vai encontrar algum chumbo grosso sim. Do resto, é só paz. Amigo, convenhamos, se não pisar nos calos de um brasileiro, sempre será bem tratado por nós.

Não somos um povo mal-educado. Já pedi desculpas inúmeras vezes por esbarrar em alguém na rua. Já ouvi também um “me desculpa” outras centenas de vezes.

Vamos ao número 2:

2 – Os brasileiros são agressivos e oportunistas, e, geralmente, à custa de outras pessoas. É como um “instinto de sobrevivência” em alta velocidade, o tempo todo. O melhor exemplo é o transporte público. Se eles veem uma maneira de passar por você e furar a fila, eles o farão, mesmo que isso signifique quase matá-lo, e mesmo se eles não estiverem com pressa. Então, por que eles fazem isso? É só porque eles podem, porque eles veem a oportunidade, por que eles querem ganhar vantagem em tudo. Eles sentem que precisam sempre de tomar tudo o que podem, sempre que possível, independentemente de quem é prejudicado como resultado.

2 – Aqui, meu caro estrangeiro, você quase me pegou, mas vou explicar uma coisinha agora para que entenda de uma vez.

Os brasileiros não são agressivos e oportunistas como você chegou lá nos states afirmando. Não partimos para cima das pessoas como um trem desgovernado. É fácil entender para quem vive aqui todos os dias e para quem não está preocupado em elaborar nenhuma lista para bombar na internet. Quando se pega um trem na baixada fluminense ou um BRT partindo de Santa Cruz, é preciso ter mesmo esse “instinto de sobrevivência”. Para se ter uma ideia, são horas de um sufoco danado, num calor infernal para chegar ao trabalho e começar uma jornada mal remunerada que mal dá para alcançar o final do mês sem ter que pedir ajuda para pagar as contas. Mesmo assim, não é difícil encontrar pessoas felizes nos vagões, convivendo pacificamente com todo aquele amontoado de gente, sorrindo e contando piadas para passar o tempo; pegar no trampo e fazer todo o percurso de volta sabendo que no dia seguinte é tudo igual outra vez. Sinceramente, acho que você só deve ter rodado pela cidade de Uber.

Esse número 3, foi um chuto no estômago, mas ainda assim o gringo está errado.

3 -Os brasileiros não têm respeito por seu ambiente. Eles despejam grandes cargas de lixo em qualquer lugar e em todos os lugares, e o lixo é inacreditável. As ruas são muito sujas. Os recursos naturais abundantes, como são, estão sendo desperdiçados em uma velocidade surpreendente, com pouco ou nenhum recurso.

3 – O brasileiro joga lixo na rua sim, é verdade. Não cuida bem do seu quintal mesmo correndo o risco de ter a casa, a família e os bens carregados pelas águas da chuva. Mas, ora, é preciso querer entender mais do nosso sistema político para encontrar os culpados certos. Ninguém quer viver pisando sobre o esgoto, concorda? Então por que é assim? É assim, rapaz, porque é tanta malversação, corrupção na política, que muitos se acham no direito de não fazer o que cada um poderia fazer. Num país como o nosso, em que o dinheiro público é usado por políticos apenas para se manterem nos cargos, o cidadão perde um pouco das esperanças de se tentar ser honesto. Fique sabendo, apesar da escassez de lixeiras nas ruas, a grande maioria deposita o seu lixo de maneira adequada.

Além disso, não somos os únicos no mundo responsáveis por proporcionar um desperdício dos recursos naturais. Faça uma avaliação sincera sobre a forma como os EUA lidam com isso também, por favor!

Este número quatro é de arrepiar. Aqui, o incomum americano toca numa ferida aberta para os brasileiros.

4 -Brasileiros toleram uma quantidade incrível de corrupção nos negócios e governo. Enquanto todos os governos têm funcionários corruptos, é mais comum e desenfreado no Brasil do que na maioria dos outros países, e ainda assim a população continua a reeleger as mesmas pessoas.

4 – É provável que para muitos a corrupção pareça fazer parte do DNA dos brasileiros, entretanto, não parece justo atribuir aos quase 200 milhões de brasileiros a alcunha de corrupto baseando-se apenas no que se vê na tevê. Se informe sobre os inúmeros movimentos sociais que tentam reverter esses hábitos. É certo que não sabemos votar, mas já houve mudanças importantes no modo de votar dos brasileiros nas últimas eleições. Me diz: de lá dos seus sonhos americanos, o que ocorreu com as eleições presidenciais dos EUA em 2016?

O número cinco parece ser a coisa mais sem noção que já li por aí.

5 – As mulheres brasileiras são excessivamente obcecadas com seus corpos e são muito críticas (e competitivas com) as outras.

5 – Toda mulher e em qualquer parte do mundo gosta de se sentir bonita. Não importa se é gorda, magra, alta ou baixa: elas querem arrasar. São o que são. Competitivas ou não, isso não as tornam obcecadas. Não sei o que você quis provocar com esse argumento, mas é meio machista, não acha?

Gostei do número seis, especialmente porque posso falar por mim.

6 – Os brasileiros, principalmente os homens, são altamente propensos a casos extraconjugais. A menos que o homem nunca saia de casa, as chances de que ele tenha uma amante são enormes.

6 – Camarada, você derrapou feio nesse tópico. Primeiro, várias pesquisam apontam que outros países estão muito à frente do nosso no quesito traição. Não vou citar quais são aqui, porque não vem mesmo ao caso. Mas, como disse acima, esse número me interessa especialmente e vou desapontá-lo bastante agora: jamais farei parte dessa sua lista. Sou fiel e gosto de ser assim. As chances de ter uma amante (amante é quando uma pessoa comprometida tem outra fora, certo?) são nulas. Enquanto for casado (faz parte dos meus planos enquanto vivo estiver) jamais trairei a minha esposa. Sei disso porque faz parte do meu caráter e, para quem me conhece, sabe que falo sério. Então, sua pisada de bola é fenomenal.

Para o número sete, minha opinião para essa questão é a seguinte: acho que o gringo pode ter saído do brasil magoado e de coração partido. Só deve…

7 – Os brasileiros são muito expressivos de suas opiniões negativas a respeito de outras pessoas, com total desrespeito sobre a possibilidade de ferir os sentimentos de alguém.

7 – Vou ser breve. Ter decepções com outras pessoas são parte da nossa existência na terra. Temos sentimentos e, às vezes, a mágoa também pode ser algo mal interpretado. Mas, vamos falar dos milhares de brasileiros que diariamente largam um monte de coisas para cuidar de outras pessoas e fazer o bem. Isso me leva a uma pergunta: o que você fez durante três anos no Brasil que nenhuma pessoa do bem cruzou o seu caminho?

É possível que o norte-americano tenha vindo ao país pagar alguns pecados. Não posso imaginar que todos os trabalhadores brasileiros tenham esses perfis.

8 – Brasileiros, especialmente as pessoas que realizam serviços, são geralmente malandras, preguiçosas e quase sempre atrasadas.

8 – Não é bem assim. Existem pessoas preguiçosas, malandras e que não dão a mínima para o trabalho, principalmente se for prestar algum serviço, só que a grande maioria é aquela mesma que você disse ter um “instinto de sobrevivência”. Essas pessoas veem dos diversos confins da cidade para arranjar o pão de cada dia e levar para alimentar a família. Nenhum empregador vai manter por muito tempo um funcionário com essas características. Certo?

Vamos falar do número nove com mais seriedade.

9 – Os brasileiros têm um sistema de classes muito proeminente. Os ricos têm um senso de direito que está além do imaginável. Eles acham que as regras não se aplicam a eles, que eles estão acima do sistema, e são muito arrogantes e insensíveis, especialmente com o próximo.

9 – Os ricos são ricos em qualquer lugar. No Brasil, existe uma ideia fixa de culpar o rico de ser rico, mas, acredite ou não, tem muitos ricos fazendo coisas boas. Arrogância e insensibilidade não é inerente à nenhuma classe específica.

Acho que o americano acertou no número dez, mas é melhor ele explicar onde e com quem esteve também.

10 – Brasileiros constantemente interrompem o outro para poder falar. Tentar ter uma conversa é como uma competição para ser ouvido; uma competição de gritos.

10 – Qualquer brasileiro quando viaja para conhecer outros países tem como hábito se informar da cultura local e costumes de lá. Acontece que, ao contrário do que você pense e escreve sobre a nossa gente, respeitamos os nossos turistas e até as suas línguas, mas seria de bom tom a qualquer pessoa que viesse nos visitar se esforçar um pouco para tentar compreender mais do nosso jeito. Falar alto e todos ao mesmo tempo é comum no nosso povo. Mas, como se sabe, o Brasil é uma extensão de mais de 8 milhões de metros quadrados e diversos povos num só país. Dependendo de onde você esteve, as pessoas agem diferentes. Aprenda isso para levar conhecimento para os seus filhos e netos.

Esse número onze mostra que o americano já veio com uma opinião formada sobre a nossa polícia.

11 – A polícia brasileira é essencialmente inexistente quando se trata de fazer cumprir as leis para proteger a população, como fazer cumprir as leis de trânsito, encontrar e prender os ladrões, etc. Existem Leis, mas ninguém as aplica, o sistema judicial é uma piada e não há normalmente nenhum recurso para o cidadão que é roubado, enganado ou prejudicado. As pessoas vivem com medo e constroem muros em torno de suas casas ou pagam taxas elevadas para viver em comunidades fechadas.

11 – Existem muitas polícias espalhadas pelos Estados brasileiras. Em cada Estado elas podem agir de modo a atender a complexidade dali. Mas, gostaria de falar da PM do Rio específicamente. Nenhuma polícia do mundo é mais polícia do que no Rio. Vai lá, brother, pega no peso das armas para subir o morro,  trocar tiros com bandidos e defender uma população que o tempo todo põe em xeque a sua capacidade de trabalhar. A resposta para esse tópico está espalhada por todo esse texto aqui. Quer saber quem é a nossa polícia, descubra mais sobre a nossa sociedade. Não tendo mais, saiba que você só prestou um desserviço aos filhos do nosso país. Sobre o Judiciário Brasileiro temos novidades: os políticos e ricos agora estão indo pra cadeia.

Comentários

Print this entry

Sobre o Autor

Francci Lunguinho

Francci Lunguinho

Jornalista, radialista e Editor do portal Crônicas Cariocas.
Amante do jiu-jitsu, corridas de rua e cães. Também é editor da web rádio www.radiomatilha.com.br

Obrigado por visitar o nosso site.

Facebook
%d blogueiros gostam disto: