Crônicas

SENHOR PRESIDENTE

Campista Cabral
Escrito por Campista Cabral

Senhor presidente, não trate esta gente como indigente.

Não seja indiferente.

À grita, ao brado, ao impacto e ao caos.

Senhor presidente, não há outra opção, falando moralmente.

Não seja inconsequente.

Ao poço, ao fundo do poço, ao oco do fundo, ao desgosto profundo desta estúpida nação.

Senhor presidente, dizem que quem cala consente!

Não seja incoerente!

A tudo que está à vista, nas confissões, delações, absurdas e inescrupulosas constatações!

Senhor presidente, venho escrever uma coisa alucinadamente:

Não continue esta história deprimente.

Caso visto, revisado, pisado e repisado nos jornais cotidianamente!

Senhor presidente, não trate esta terra como se fosse inexperiente.

Já sabido das coisas e das letras e de toda gente.

Que a melhor coisa a fazer é sair de cena, comprovadamente!

Senhor presidente!

Nenhuma outra palavra escrevo, nenhuma outra palavra espero, nenhuma outra palavra penso!

Neste indigno chão, nesta pútrida pátria, nesta terra arrasada em que parece não restar mais o que fazer, vergonhosamente!

Sair senhor presidente! Sair!

 

Comentários

Print this entry

Sobre o Autor

Campista Cabral

Campista Cabral

Escritor, poeta e cineasta amador. Publicou quatro livros. O REI, O POETA, A MULHER E O MAR (contos), TERRA BRASILIS (crônicas), PARA ENTENDER UMA NOVA EDUCAÇÃO (livro voltado para os problemas da educação no século XXI) e FORMAÇÃO DOCENTE E PRÁTICAS INOVADORAS (livro sobre novas práticas docentes no ensino superior). Realiza anualmente o FESTIVAL DE CINEMA DE TERESÓPOLIS e, dentre alguns trabalhos na área, destaque para o filme NOITES COM SOL (2011) e os documentários PALAVRAS (2008), CAMINHOS EUCLIDIANOS (2012) e O QUE É FELICIDADE? (2013). Escreve regularmente para o Escritartes (www.escritartes.com) e Recanto das Letras (www.recantodasletras.com)

Facebook
%d blogueiros gostam disto: