Crônicas

Uma crônica, um bom café e umas besteiras

Campista Cabral
Escrito por Campista Cabral

A chuva que cai agora na cidade me faz pensar sobre uma crônica mais leve…

Uma crônica mais leve do que tem sido o costume deste cronista: escrever sobre os desmandos e absurdos de um país!

Por hora, por instantes, por um breve tempo…

Ou o que valha…

Deixo um pouco o olhar sobre este assunto e escrevo sobre o que é mais comum do que o comum: futilidades!

É importante saber que a vida é, sim, feita de muitas futilidades!

Usar o tempo para não falar de nada! Como se, uma mágica extraordinária, tivéssemos tempo de sobra para não falar de nada!

A chuva que cai, miúda e constante, me faz pensar quão bom é poder ter tempo para fazer uma crônica sobre a chuva. Quão bom pensar nas palavras para preencher esta crônica! Quão bom é poder sentir, palavra a palavra, a crônica. Como pão macio saído do forno. Como biscoitos crocantes e uma boa xícara de café…

Café…

Só de pensar no cheiro do café imagino a crônica ainda mais leve: preguiçosa, dedos que escorregam sobre o teclado. Preguiça de escrever… Uma certa molência, um certo ar de desdém, uma dormência…

Que bom saber que, apesar de tudo, apesar de tudo mesmo, ainda há tempo para a poesia do dia, a poesia do nada ou do fazer nada. Novamente as pequenas coisas e os mistérios do que é frágil ou aparentemente banal.

Quando penso nesta crônica, no café ou nas besteiras que a gente faz, agradeço poder estar vivo para escrever mais um texto em que foi possível parar e respirar.

Esta crônica é meio isso, uma pausa, um descanso, um intervalo no meio da confusão.

Escrevamos então besteiras e bebamos um café! Façamos isso enquanto o tempo nos concede esses episódios tão gostosos e genuínos da vida. Viver é também isso!

Ainda bem que não cortaram ou tributaram o sonho!

Comentários

Print this entry

Sobre o Autor

Campista Cabral

Campista Cabral

Escritor, poeta e cineasta amador. Publicou quatro livros. O REI, O POETA, A MULHER E O MAR (contos), TERRA BRASILIS (crônicas), PARA ENTENDER UMA NOVA EDUCAÇÃO (livro voltado para os problemas da educação no século XXI) e FORMAÇÃO DOCENTE E PRÁTICAS INOVADORAS (livro sobre novas práticas docentes no ensino superior). Realiza anualmente o FESTIVAL DE CINEMA DE TERESÓPOLIS e, dentre alguns trabalhos na área, destaque para o filme NOITES COM SOL (2011) e os documentários PALAVRAS (2008), CAMINHOS EUCLIDIANOS (2012) e O QUE É FELICIDADE? (2013). Escreve regularmente para o Escritartes (www.escritartes.com) e Recanto das Letras (www.recantodasletras.com)

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: