Crônicas

Verás que um filho teu não foge à luta

Campista Cabral
Escrito por Campista Cabral

E as meninas do vôlei fazem bonito! E Diego Hypólito faz bonito! E assim também o vôlei de praia, o vôlei masculino, o handebol, as aguerridas meninas do futebol… Sou fã incondicional de Marta! E não importa qual seja o resultado, a determinação desse time é impressionante e digno de nota! Reverências presto!

Realmente, as olimpíadas são um espetáculo à parte!

E esta crônica é escrita com um certo ar de que as coisas podem dar certo mesmo em um cenário pouco provável!

E esta crônica é escrita como um alento no meio da barbárie!

E esta crônica é escrita como uma forma de dizer que podemos fazer o melhor, que podemos realizar mais!

Fico a pensar, então, no meu país e nas coisas que poderíamos fazer… E temos tantas coisas boas! A força, a vontade, o carisma, a superação! Só pra começar!

Quantos Bolt´s, nascidos pobres e aparentemente sem perspectivas, podem romper em glória depois dos cem metros?

Quantos Phelps existiriam? Quantas Biles? Quantos e quantas?

Eu não sei dizer ao certo, mas sei que muitos talentos são desperdiçados, muitos diamantes são perdidos, ou para o tráfico, ou para a violência, ou ainda para uma vida de sobrevivência pura!

Eu não sei dizer ao certo, mas sei que muitos sonhos são interrompidos…

Mas superam e avançam e lutam e conquistam Thiagos e Rafaelas e Silvas e Souzas…

E quando a bandeira está lá, no alto do pódio, são sonhos conquistados após muita luta, após sofrimento, após o desafio de vencer sem a estrutura adequada em muitas modalidades!

E quando a bandeira está lá, no alto do pódio, penso no verso do nosso hino que diz “verás que um filho teu não foge à luta”.

E não foge à luta, mesmo quando não há colaboração!

E não foge à luta, mesmo diante de tanta corrupção!

E não foge à luta, mesmo negada a melhor condição!

E não foge à luta, mesmo a pátria dizendo não!

Mesmo a pátria dizendo não… Mesmo a pátria repetindo seguidamente não!

Mesmo diante do não, circunscreve-se uma nação!

Comentários

Print this entry

Sobre o Autor

Campista Cabral

Campista Cabral

Escritor, poeta e cineasta amador. Publicou quatro livros. O REI, O POETA, A MULHER E O MAR (contos), TERRA BRASILIS (crônicas), PARA ENTENDER UMA NOVA EDUCAÇÃO (livro voltado para os problemas da educação no século XXI) e FORMAÇÃO DOCENTE E PRÁTICAS INOVADORAS (livro sobre novas práticas docentes no ensino superior). Realiza anualmente o FESTIVAL DE CINEMA DE TERESÓPOLIS e, dentre alguns trabalhos na área, destaque para o filme NOITES COM SOL (2011) e os documentários PALAVRAS (2008), CAMINHOS EUCLIDIANOS (2012) e O QUE É FELICIDADE? (2013). Escreve regularmente para o Escritartes (www.escritartes.com) e Recanto das Letras (www.recantodasletras.com)

Obrigado por visitar o nosso site.

Facebook
%d blogueiros gostam disto: