Layout A (one post)

Cinema Notícias

Solo: curta tem roteiro de Fabricio Mohaupt e direção de Alailson Bernardo

O colunista Fabricio Mohaupt escreveu o texto “Solo” para o Crônicas Cariocas em 2008 (leia aqui). Mas, só agora, o diretor goiano Alailson Bernardo, o levou às telas num curta. O filme conta a história de Bruno, um garoto atormentado pela solidão e com vários problemas familiares. Bruno provoca acidentalmente a morte de Abilio, outro menino da sua escola que possui um pequeno problema mental. A tragédia enche Bruno de culpa e o leva a tomar uma medida drástica. Esse filme propõe uma reflexão sobre o bullying.

Print this entry

Ler mais

Layout A (slider)

Crônicas

OLHOS NOS OLHOS

Olhar nos olhos do outro e saber o que outro quer…

Parece algo mágico, assombroso, inacreditável, difícil mesmo de acontecer!

Entretanto, neste século pós-tudo, olhamos cada vez menos para o outro e vemos menos com nossos próprios olhos as pessoas, as coisas e o mundo ao nosso redor, e aí, percebemos melhor a real situação: mais desumanizados ficamos!

Olhamos pela tela do telefone, olhamos pela câmera, olhamos pelo webcam, olhamos para dispositivos, olhamos para isso e para aquilo, mas não olhamos olho no olho!

Olhar no olho é conhecer.

Olhar no olho é preocupar-se com.

Olhar no olho é ser sincero.

Olhar no olho é reconhecer e reconhecer-se!

Olhar no olho é ser distinta e simplesmente humano!

Hoje, olhamos para baixo! Somos cabisbaixos! Curvados, silenciosos!

Hoje, confiamos na tela e nas pequenas mensagens de texto!

Hoje, não olhamos mais o outro!

Não quero dizer com isso que a tecnologia digital é o grande vilão da história, mas temos o desastroso hábito de ficarmos dependentes de tudo! Tudo é muito fácil e rápido! Em razão disso, para facilitar ainda mais a nossa vida, criamos aplicativos para comer, para sorrir, para olhar, como se precisássemos realmente dessas coisas.

O pior, depois de criados os monstrengos, temos a sensação de como foi possível viver sem essas coisas!

Quando deixamos de ver e viver a vida de fato e de direito e deixamos que traquitanas eletrônicas vivam por nós, algo está muito errado!

É preciso, antes de qualquer coisa, desligar-se um pouco de cabos e sinais, olhar mesmo a cidade e as pessoas…

Olhar, simples assim…

 

Print this entry

Ler mais
Crônicas

O tempo e a vida

O tempo matéria prima tão valiosa e tão desperdiçada pelas pessoas. Nesta vida assistimos a passagem do tempo e quando nos damos conta já estamos no fim da vida.

Na vida aprendemos que o mais importante na nossa trajetória é o que fazemos com nosso tempo e quão importante é para nossa existência o que plantamos e deixamos aqui neste mundo. Aprendemos que amar é sinônimo de liberdade e que não necessariamente é preciso sofrer para se dizer que ama.  O amor não é muleta é sim união, companheirismo, atitude e entrega.

Vamos aprender também que juras de amor ou beijos intensos não são promessas de um relacionamento sólido.

Neste nosso tempo curto saberemos aceitar as derrotas e seguir em frente, pois não há nada como um dia após o outro. Entenderemos que cair de pé para vida e melhor do que ficar ajoelhado perante nossos insucessos.

A vida vai nos ensinar que é melhor viver e construir no hoje do que viver de um passado de glórias ou insucessos ou de um futuro de incertezas.

Certa vez uma pessoa humilde me disse uma frase de grande sabedoria: A gente faz um plano e Deus faz outro. Vamos viver intensamente, pois o amanhã a Deus pertence.

A vida também nos ensina a ser equilibrado, sereno e que se esticarmos demais a corda ela rompe. Não podemos ser impulsivos demais, devemos pensar antes de falar.

Vamos viver loucamente, fazer aquilo que amamos, conquistar pessoas pelo amor, pelo bem que praticamos, enfim sermos nós mesmos e sermos felizes por nós mesmos sem esperar nada dos outros.

Não adianta se importar com certas pessoas porque elas simplesmente não ligam para nós ou para o que somos. Devemos deixar para lá e seguir em frente com alegria.

O perdão deve fazer parte da nossa vida, pois muitas vezes alguma pessoa querida pode nos magoar sem perceber e não perdoar nos fará mal, atingirá nossa alma.

A vida vai nos mostrar que amigos sinceros continuam amigos mesmo à distância e que o que importa não é o numero de conquistas amorosas que você teve e sim aquela especial que ficará com você haja o que houver.

Aprendi que família é aquela que você constrói e não aquela que você nasce.

A vida me mostrou que a perda é um evento normal e que quando ficamos sem aqueles que amamos vamos sofrer, mas que depois o sofrimento se transforma em uma lembrança agradável.

Nesta vida devemos ser considerados pelo que somos e não pelo que temos apesar da inversão de valores da sociedade.

A vida me mostrou que a verdadeira competição é sempre ser o melhor que podemos ser, que levamos um tempo para descobrirmos nossa real vocação e que aqueles que conseguem descobrir seu talento são pessoas de extrema sorte, pois a maioria passa pela vida e não vive só sobrevive.

Aprendi que assim que atingimos nossas metas devemos criar um objetivo novo para podermos prosseguir com vontade e determinação, e sermos sempre felizes , realizados.

Aprendi que somos livres para decidir, mas escravos das nossas decisões e que quando se desejamos alguma coisa, temos que estar preparados para as consequências.

A vida me ensinou que a maturidade tem haver com a quantidade e com o tipo de experiências que vivenciamos e que devemos ser felizes por ter aprendido muito no transcorrer da nossa vida.

Nunca sabemos tudo nesta vida, somos eternos aprendizes e como dizia Sócrates: Só sei que nada sei.

Nunca devemos desistir dos nossos sonhos e nem permitir que alguém tente destruí-los, mas que também é preciso ser determinado e focado para se conquistar o que se sonha.

Portanto, cuide do seu jardim siga seu destino e não viva de opiniões alheias.

Na vida sempre devemos tentar sem medo de fracassar e isto nos tornará fortes.

Aprendi que a  maior qualidade do ser humano é a resiliência, ou seja, a capacidade de cair e levantar e sempre estar pronto para enfrentar as dificuldades desta vida.

Precisamos olhar para a vida com olhos de poeta e viver com poesia, ou seja, precisamos enxergar as belezas da vida e encarar tudo com positividade.

Concluo dizendo que a vida deve ser vivida com alegria, intensidade e amor

O segredo desta vida é se fazer o que se ama sem se preocupar com opiniões alheias.

É como dizia Tom Jobim: É impossível ser feliz sozinho e toda alma precisa de outra que seja sua companheira, sua amante, sua confidente.

Este é o recado que quero deixar, ser feliz é a razão de vivermos. Sem felicidade não chegamos em lugar nenhum, nem mesmo perto de conquistar um Amor verdadeiro!

Print this entry

Ler mais
Crônicas Festivais

II FESTIVAL IMPERIAL DE CINEMA DE PETRÓPOLIS COMEÇA DIA 18 DE OUTUBRO

Festival é gratuito e vai até dia 22 de outubro na cidade serrana

Sucesso absoluto de público em sua primeira edição, o II Festival Imperial de Cinema de Petrópolis volta à cena cultural em 2017 ampliado e cheio de novidades. O festival acontece de 18 a 22 de outubro e a programação gratuita. O festival conta com apoio do Palácio de Cristal, Museu Imperial, UCP e Cervejaria Bohemia.

O festival contará com exibição de filmes nacionais e estrangeiros, documentários, workshops, oficinas e debates com painéis sobre os destinos do cinema nacional, trilhas sonoras e adaptações literárias. Durante o evento ocorrerá um painel com representante do Itamaraty e convidado internacional sobre o trabalho de intercâmbio cultural e coprodução cinematográfica entre Brasil e África.

O II Festival Imperial de Cinema de Petrópolis agrega este ano uma ação social que beneficia 130 crianças do Ensino Fundamental da rede pública municipal, com a doação de óculos de grau. A parceria é das idealizadoras e diretoras Luciana Pacheco e Daniela Brescianini com a Prefeitura de Petrópolis por meio do Instituto Municipal de Cultura e Esportes, Secretarias de Saúde, Educação, Assistência Social e empresas privadas como a Carl Zeiss, Óticas Carol e Ofaltmo Clínica de Petrópolis.

“Conseguir promover a melhoria da visão para tantas crianças da rede pública, é mágico! Elas já irão assistir ao filme “As Aventuras do Pequeno Colombo” sob essa nova perspectiva, numa sessão especial do Festival no dia 21, quando receberão os óculos. Tem sido uma parceria de boas e profícuas atitudes que promete render muitos frutos” –diz empolgada a diretora Luciana Pacheco.

“Nosso objetivo ao idealizarmos o festival, foi consolidar Petrópolis como sede de um espaço democrático e definitivo para o cinema brasileiro. Englobando cultura, arte, entretenimento e intercâmbio, o Festival incentiva tudo isso e o turismo, além da grande confraternização do cinema” –encerra a diretora Daniela Brescianini.

O evento também conta com outros parceiros como Locanda Della Mimosa, InterTV, Maesa, Bohemia, Certisign,Tangível, também agregam valor às ações, com o Patrocínio da Águas do Imperador.

PROGRAMAÇÃO

            A abertura será no Theatro D. Pedro com exibição do filme “João, O Maestro”, de Mauro Lima. O filme conta a vida de João Carlos Martins. Encerrando a noite haverá o tradicional Baile de Máscaras no Palácio de Cristal, para os convidados.

O II Festival Imperial de Cinema de Petrópolis contará com 12 longa metragens atuais, de perfil autoral e comercial, filmes tais como: “Divórcio”, de Pedro Amorim, com a talentosa petropolitana Camila Morgado; “O Filme da Minha Vida”, de Selton Melo; e “Não Devore Meu Coração”, de Felipe Bragança. Esse ano o festival conta com o apoio da Globo Filmes.

Em parceria com a Cinemateca Francesa, a Mostra “Musas do Cinema Francês”, exibirá clássicos restaurados onde Bardot, Deneuve, Ana Karina e Jeanne Moreau e Danielle Darrieux, protagonizam a visão de Jean Luc Godard, Louis Malle Jacques Demy e Max Opuls. As sessões acontecem todo final de tarde, na Cervejaria Bohemia.

A Mostra GloboNews Documentários apresentará o retrato de personalidades como Antonio Callado, Gabeira, Pitanga e Dom Paulo Evaristo Arns, que representarão esse trabalho. Na mesma linha de parceria audiovisual, será exibida a série de documentários “Bravos!”, da TV Brasil, que retrata, com uma visão humana, histórias de superação, de brasileiros no seu dia a dia, com um Painel com os realizadores apresentando a série na Universidade Católica de Petrópolis.

Sessões Infantis com um Projeto Escola, que visam levar mais de mil crianças e jovens ao cinema com exibições de filmes como D.P.A – Detetives do Prédio Azul e o premiado O Menino e o Mundo.

A mesa de debate “Novas Propostas para o Cinema Brasileiro” está de volta ao festival para dar um panorama atual e traçar novas metas.

Após a assinatura do acordo de Coprodução Cinematográfica Brasil/Namíbia, haverá a mesa de debate “Intercâmbio Cultural Brasil-África”. A parte musical ganhou mais espaço com a criação do painel sobre Trilhas Sonoras, “A Música Original no Cinema”, com a presença de grandes músicos, autores de Trilhas, e antecedendo o debate, a palestra com Tim Rescala “Música – A Sublime Arte da Incerteza”. Na mesa de Literatura o tema será “A Arte da Adaptação Literária para o Cinema” tendo como exemplo as obras “Oeste, a Guerra do Jogo do Bicho” e “Dias Perfeitos”. Workshops de Direção para Atores, acontecerão durante 3 dias do evento no Museu  Imperial, com inscrições no site do Festival.

A Oficina Infantil Audiovisual acontecerá no Palácio de Cristal, com suporte pedagógico, dois dias durante as manhãs, para crianças de 11 a 13 anos, com foco na produção de filmes para o Youtube. Os professores são Dostoiewski Champangnatte e Jeana Kamil.

 

Dia 18/10 – Quarta Feira

Programação do Theatro Dom Pedro

Abertura: 20:30h: A Abertura do II Festival Imperial de Cinema de Petrópolis será no Theatro Dom Pedro no dia 18 de outubro e terá como principal filme do festival João, O Maestro, com direção de Mauro Lima, atuação magistral de Alexandre Nero e produção da LC Barreto.

João, O Maestro
Brasil – 2017 – 1h 56 min
Classificação Indicativa: 14 anos
Direção: Mauro Lima
Com: Alexandre Nero, Rodrigo Pandolfo, Alinne Moraes
Quando criança, João Carlos Martins foi considerado um prodígio do piano. Aos poucos, sua fama ganhou os noticiários e levou o músico à Europa e a outros países da América do Sul. Estabelecido como pianista de sucesso, na fase adulta, sofre um acidente que prejudica o movimento da mão direita. João tenta se reestabelecer e, enquanto isso, apresenta-se em concertos para uma mão só. No entanto, um segundo acidente retira os movimentos da mão esquerda, o que faz com que ele, mais uma vez, tenha que se reinventar.
Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=ae0g4SL8Zrs

 

Dia 19/10 – Quinta Feira

Programação do Theatro Dom Pedro

Sessão infantil: 13:00h

O Menino e o Mundo
Brasil – 2014 – 1h 35 min
Classificação Indicativa: Livre
Direção: Ale Abreu
Animação
Um menino mora com os pais em uma pequena cidade do campo. Diante da falta de trabalho, um dia, ele vê o pai partindo para a cidade grande. Os dias que se seguem são tristes e de memórias confusas para o garoto. Até que então ele faz as malas, pega o trem e vai descobrir o novo mundo em que seu pai mora. Para a sua surpresa, a criança encontra uma sociedade marcada pela pobreza, exploração de trabalhadores e falta de perspectivas.
Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=yvxtcAoXgcs 

Sessão infantil: 15:00h

Os Saltimbancos Trapalhões – Rumo a Hollywood
Brasil – 2017 – 1h 39 min
Classificação Indicativa: Livre
Direção: João Daniel Tikhomiroff
Com: Renato Aragão, Dedé Santana, Livian Aragão
O Grande Circo Sumatra está em meio a uma grande crise financeira desde a proibição de animais em espetáculos e Barão (Roberto Guilherme), dono do circo, acaba aceitando fazer leilões de gado, comícios e outros eventos alternativos no circo. Didi (Renato Aragão) e Karina (Letícia Colin), artistas do circo, estão infelizes com a situação e decidem montar um novo número e, assim, tentar atrair o público novamente.
Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=gRyfHD2q0k0

Panorama Nacional: 18:00h

Como Nossos Pais
Brasil – 2017 – 1h 42 mim
Classificação Indicativa: 14 anos
Direção: Laís Bodansky
Com: Maria Ribeiro, Clarisse Abujamra, Paulo Vilhena
Rosa (Maria Ribeiro), 38 anos, é uma mulher que se encontra em uma fase peculiar de sua vida, marcada por conflitos pessoais e geracionais: ao mesmo tempo em que precisa desenvolver sua habilidade como mãe de suas filhas, manter seus sonhos, seus objetivos profissionais e enfrentar as dificuldades do casamento, Rosa também continua sendo filha de sua mãe, Clarice (Clarisse Abujamra), com quem possui uma relação cheia de conflitos.
Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=drik9PA8LPk

Panorama Nacional: 21:00h

Não Devore Meu Coração
Brasil – 2017 – 1h 46 min
Direção: Felipe Bragança
Com: Cauã Reymond, Eduardo Macedo, Adeli Gonzales
Joca (Eduardo Macedo), um jovem de treze anos, descobre o amor quando conhece Basano (Adeli Benitez), uma menina paraguaia. No entanto, para conquistá-la, Joca passará por grandes dificuldades relativos a problemas de fronteira entre o Brasil e o Paraguai e a relação seu irmão Fernando (Cauã Reymond), um homem que pertence a uma perigosa gangue de motociclistas.
Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=E-Tlgr0H03o

Programação no Museu Imperial

Dia 19/10 – Quinta –Feira

Documentários Globo Filmes/ GloboNews: 20:00h

Pitanga
Brasil – 2017 – 1h 50 min
Classificação Indicativa: 12 anos
Direção: Beto Brant, Camila Pitanga
A vida, a obra, a trajetória e a carreira de Antônio Pitanga, um dos maiores atores do cinema nacional de todos os tempos, protagonista de momentos marcantes da cinematografia brasileira e protagonista de filmes importantes dirigidos por nomes como Glauber Rocha, Cacá Diegues e Walter Lima Jr.
Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=qbdccnGn8Ys

Programação – Universidade Católica de Petrópolis

Dia 19/10 – Quinta-feira

Painel: Bravo: A nova Série Documental da TV Brasil: 18:30h

Coordenadores, produtores e o diretor da série apresentarão os caminhos e desafios da produção em uma TV Publica, com a abordagem direcionada para a série Bravos!

“Em episódios, vamos conhecer a história de pessoas de diversas comunidades brasileiras, que, inspiradas pela arte e pelo esporte, conseguiram conquistar seus sonhos através de muita  determinação, espírito de luta e uma forte rede de solidariedade.”

Debatedores:
Eduardo Gurgel: Coordenador de Produção
Mirian Magami: Coordenadora de Criação
Enio Puello: Gerente de Criação
Felipe Careli: Diretor

Após o debate teremos a exibição dos episódios da série:

Thabata Lorena: Representatividade Negra e Empodramento Feminino
Brasil – 2017 – 26 min
Maranhense radicada no Distrito Federal, a cantora traz em suas letras o recado da representatividade negra e do empoderamento feminino. A cantora cresceu em uma família humilde entre as regiões de Samambaia e Taguatinga, iniciando seu contato com o rap ainda na adolescência.

Socrates Santana: Campeão Mundial de Bodyboard
Brasil – 2017 – 26 min
Com apenas 16 anos, Sócrates Santana foi o primeiro atleta negro a sagrar-se campeão mundial de bodyboard. Agora, dois anos depois, ele pretende repetir o feito, primeiro logrado na categoria junior, mas agora entre os profissionais. Nascido e criado no Morro do Pavãozinho e nas areias de Copacabana, Sócrates, ainda hoje, ajuda a família vendendo água de coco numa barraca na praia.

Programação – Palácio de Cristal
Dia 19/10 – Quinta-feira

Curtas Universitário de Petrópolis: 20:00h

Panorama Nacional: 20:30h

Malasartes e o Duelo com a Morte
Brasil – 2017 – 1h 50 min
Classificação Indicativa: 12 anos
Direção: Paulo Morelli
Com: Jesuíta Barbosa, Ísis Valverde, Júlio Andrade
Pedro Malasartes (Jesuíta Barbosa) é um malandro que, por mais que seja apaixonado por Áurea (Ísis Valverde), não resiste a um rabo de saia. Devendo muito dinheiro a Próspero (Milhem Cortaz), irmão de sua amada, Malasartes precisa escapar dele ao mesmo tempo em que prega peças, sempre usando a inteligência, de forma a conseguir alguns trocados. Só que seu padrinho, a Morte (Julio Andrade) em pessoa, tem outros planos para ele.
Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=s_qtWlhxhlA

Programação – Cervejaria Bohemia
Dia 19/10 – Quinta Feira

Estreia Internacional: 18:00h

Ladies of Science
Irlanda – 2016 – 56 min
Classificação Indicativa: Livre
Direção: Alessandra Usai
Documentário
Este documentário de drama de 56 minutos, situado na Irlanda, conta a história de duas mulheres notáveis, Lady Mary Rosse e Mary Ward, que tiveram paixão pela ciência e pela tecnologia durante uma época (1850) quando as mulheres não eram admitidas nas universidades.
Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=-PZQMM_3Ams

Musas do Cinema Francês: 20:00h

Duas Garotas Românticas (Les Demoiselles De Rochefort)
França – 1967 – 1h 31min
Classificação indicativa: 14 anos
Direção: Jacques Demy
Com: Catherine Deneuve, Danielle Darrieux, Françoise Dorleac
Delphine e Solange são duas irmãs gêmeas encantadoras e espirituosas de 25 anos. Delphine, a loira, dá aulas de dança e Solange, a ruiva, aulas de música. Elas vivem então da música e sonham ir para Paris e ter uma vida de fantasias. Alguns empresários chegam à cidade e passam a frequentar o bar que é da mãe delas. Uma grande feira é promovida e um marinheiro sonhador está à procura da mulher ideal… “Queria fazer um filme que despertasse um sentimento de felicidade, que, depois da projeção, o espectador saísse da sala menos triste do que quando tinha entrado” -Jacques Demy.
Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=bbfhF4HG6Lc

 

20/10 – Sexta Feira

Programação do Theatro Dom Pedro

Panorama Nacional: 13:00h

Macaco Tião, O Candidato do Povo

Brasil – 2017 – 1h 15 min

Direção: Alex Heller

Documentário

Em meio à conturbada apuração de votos das eleições de 88, de um Brasil abandonando a ditadura e acenando para uma desejada democracia, um inusitado candidato assume os holofotes numa surpreendente campanha liderada pelos humoristas do Casseta & Planeta. Um candidato à frente de seu tempo, já preso antes mesmo de ser eleito – assim não poderia roubar. Um candidato que exercia com louvor os desejos do povo, jogando bosta em autoridades locais. Com aproximadamente 400 mil votos nas eleições para Prefeito do Rio de Janeiro, o digníssimo candidato entrou para a História como o chimpanzé mais querido do planeta. Com vocês: MACACO TIÃO – O Candidato do Povo.

 

Classificação: 14 anos

 

Trailer: https://vimeo.com/100134779

 

Sessão Infaltil: 15:00h

D.P.A – Detetives do Prédio Azul

Brasil – 2017 – 1h 30 min

Direção: André Pellenz

Com: Letícia Braga, Anderson Lima, Pedro Henriques Motta

Os Detetives do Prédio Azul são confrontados com o maior caso de suas vidas: salvar o próprio edifício da destruição. Pippo (Pedro Henrique Motta), Sol (Letícia Braga) e Bento (Anderson Lima) se infiltram na festa de Dona Leocádia (Tamara Taxman), a terrível síndica que é, literalmente, uma bruxa. Lá eles presenciam um crime “mágico”, que condena o Prédio Azul a uma demolição de emergência. Para completar, a única testemunha – o quadro falante da Vó Berta (Suely Franco) – desaparece, e Dona Leocádia é enfeitiçada para ficar boazinha. Para resolver esse caso, os detetives vão contar com a ajuda do porteiro Severino (Ronaldo Reis), que empresta sua Kombi azul novinha para ser a sede de investigação. A aventura fica completa quando Tom (Caio Manhente), Mila (Letícia Pedro) e Capim (Cauê Campos), fundadores do clubinho original, são trazidos de volta ao Rio de Janeiro para ajudar no caso.

Classificação Indicativa: Livre

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=93i8G3elwcs

 

 

 

Panorama Nacional/ Painel: 18:00h

Painel:  Relação Brasil-África e a Sétima Arte

Proposta: Os participantes deste painel do II Festival Imperial do Cinema de Petrópolis são convidados a debater as perspectivas de coprodução cinematográfica e intercâmbio cultural entre o Brasil e os países da África, no âmbito da cooperação técnica, identidade cultural e busca por temáticas  contemporâneas de interesse mútuo. Para tanto, serão analisados o papel institucional de Governos e agências de fomento – tendo como exemplo o acordo bilateral de coprodução em audiovisual celebrado, em 2017, entre o Brasil e a África do Sul – bem como a exitosa parceria entre Produtores do Brasil e da Namíbia na recente realização do longa metragem “The Unlikely Encounter” (O Encontro Improvável).

 

Integrantes:

Diplomata André Costa – Ministério das Relações Exteriores.- Embaixada do Brasil em Windhoek

Bobby T Hasheela – Coprodutor Namibiano

Após o Painel, teremos uma cabine do filme:

O Encontro Improvável

Brasil/Namíbia – 2017 – 1h 43 min

Direção: André Costa

Com: Damien Schultz, Jeanne-Danae Januarie, Roya Diehl

Situado na área de Windhoek, na Namíbia de hoje, THE UNLIKELY ENCOUNTER é um drama com humor sarcástico sobre as dificuldades de relacionamento entre pai e filho, em meio a contrastes culturais e referências históricas importantes para a sociedade namibiana, como o genocídio contra os Hereros e nações Namas perpetrado pelo império colonial alemão, a luta contra o “apartheid” e o homossexualismo.

Classificação Indicativa: 14 anos

Trailer:

 

Panorama Nacional: 21:00h

Bingo, O Rei Das Manhãs

Brasil – 2017 – 1h 53 min

Direção: Daniel Rezende

Com: Vladimir Brichta, Leandra Leal, Augusto Madeira e Emanuelle Araújo

Cinebiografia de Arlindo Barreto, um dos intérpretes do palhaço Bozo no programa matinal homônimo exibido pelo SBT durante a década de 1980. Barreto alcançou a fama graças ao personagem, apesar de jamais ser reconhecido pelas pessoas por sempre estar fantasiado. Esta frustração o levou a se envolver com drogas, chegando a utilizar cocaína e crack nos bastidores do programa.

Classificação Indicativa: 16 anos

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=4xHP9tiS6NM

 

 

Programação no Museu Imperial

 

Dia 20/10 – Sexta- Feira

Local: A Confirmar

Painel – Novas Propostas Para o Cinema Brasileiro: 15:00h

A mesa de maior destaque na primeira edição do Festival, “Novas Propostas Para o Cinema Brasileiro”, agora volta a Petrópolis para dar um panorama atual e traçar novas metas.

Debatedores:

Sergio Sá Leitão: Ministro da Cultura

Jorge Peregrino: Conselheiro do Conselho Superior do Cinema

Mediador: Jayme Eduardo Vasconcellos: Assessor Chefe da Economia de Cultura do Rio De Janeiro

 

Programação no Museu Imperial

 

Documentários Globo Filmes/ GloboNews: 20:00h

Callado

Brasil – 2017 – 1h 19 min

Direção: Emília Silveira

Uma celebração do centenário do escritor, jornalista e militante da democracia Antônio Callado. O documentário descreve a história de vida e as obras deste escritor dividido em oito blocos temáticos, todos escolhidos e definidos de acordo com os acontecimentos mais marcantes de sua trajetória.​

Classificação Indicativa: 12 anos

Trailer:

Programação – Palácio de Cristal

 

Dia 20/10 – Sexta-feira

Curta Metragem: 20:00h

Wana’rá

Brasil- 2017 – 20 min

Direção: Christian Monassa

O filme retrata uma trágica história de amor proibido entre dois índios de tribos inimigas. Baseado nas lendas de “Curumim” e “Cereçaporanga”, que pertencem respectivamente as tribos dos Sarteré-mawés e Tatyuos, o amor dos dois jovens índios resultará em um trágico desfecho para um bem maior das duas tribos.

Trailer: https://vimeo.com/219219259

 

 

Panorama Nacional: 20:30h

O Filme da Minha Vida

Brasil – 2017 – 1h 56 min

Direção: Selton Melo

Com: Johnny Massaro, Vincent Cassel, Bruna Linzmeyer

O jovem Tony (Johnny Massaro) decide retornar a Remanso, Serra Gaúcha, sua cidade natal. Ao chegar, ele descobre que Nicolas (Vincent Cassel), seu pai, voltou para França alegando sentir falta dos amigos e do país de origem. Tony acaba tornando-se professor, e se vê em meio aos conflitos e inexperiências juvenis.

Classificação Indicativa: 14 anos

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=TDVegL5nfYs

 

 

Programação – Cervejaria Bohemia

 

Dia 20/10 – Sexta Feira

Musas do Cinema Francês: 18:00h

O Desprezo (Le Mépris)

França – 1963 – 1h40 min

Direção: Jean-Luc Godard

Com Brigitte Bardot

Paul Javal, roteirista, aceita dar nova versão à adaptação de “A Odisséia”, que Fritz Lang está rodando em Roma, sob a produção de Jérôme Prokosch. Apaixonado por Camille, sua mulher, Paul fica enciumado quando ela aceita uma carona de Prokosch. Durante uma longa cena doméstica, Camille fala de seu desprezo pelo marido. O rompimento acontece em Capri, onde são realizadas as cenas externas e mais importantes do filme. Camille vai embora com Prokosch e ambos morrem num acidente de carro

Classificação indicativa: 14 anos

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=Dqwv9XkHOpk

 

Musas do Cinema Francês: 20:00h

O Demônio das Onze Horas (Pierrot le Fou)

França, Itália – 1965 – 1h 35 min

Direção Jean-Luc Godard

Com: Anna Karina, Jean-Paul Belmondo

Casado com uma italiana e entediado com sua vida na alta sociedade, o professor espanhol Ferdinand foge em direção ao sul com Marianne, após um cadáver ser encontrado na casa dela. Eles caem na estrada e deixam um rastro de roubos por onde passam.

Classificação Indicativa: 16 anos

https://www.youtube.com/watch?v=C2TaYh7upe0

 

 

Dia 21/10 – Sábado

 

Programação – Universidade Católica de Petrópolis

Dia 21/10 – Sábado

Sessão Infantil/ Ação Social: 10:00h

As Aventuras do Pequeno Colombo

Brasil – 2017 – 1h 20 min

Direção: Rodrigo Gava

Animação

Ainda crianças, Leonardo da Vinci, Cristovão Colombo e Mona Lisa participam de uma sociedade secreta e descobrem fatos ignorados pela ciência medieval. Tentando salvar sua família da falência, Cris convence os amigos a irem com ele até uma ilha repleta de tesouros. No meio da viagem, no entanto, eles são atacados pela fera Nautilus.

Classificação Indicativa: Livre

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=unF9sXSs6GU

 

Documentários Globo Filmes/ GloboNews: 15:00h

Belo Monte – Um Mundo Onde Tudo é Possível

Brasil – 2017 – 1h 10min

Direção Alexandre Bouchet

Belo Monte, uma barragem com a missão de produzir uma parte da energia que o país necessita, localizada na fronteira de uma das maiores terras indígenas do Planeta. Que inundou o coração da Amazônia e grande parte da cidade de Altamira, no Pará. Belo Monte, uma gigante muralha de cimento que parou o curso do rio Xingu. Uns encontrarão trabalho para sair momentaneamente da miséria, outros vão ter sua existência e sua visão do mundo radicalmente mutiladas. E ainda aqueles que vão à guerra por uma causa que não lhes prejudica diretamente. Nasce aí uma das obras mais polêmicas da historia do Brasil.

Classificação etária: 12 anos

 

Palestra – Música, a Sublime Arte da Incerteza e Debate – Trilha Sonora – “A Música Original no Cinema”: 18:30h

 

Palestra: Tim Rescala

 

 

Debatedores:

Sergio Saraceni

Tim Rescala

Fael Mondego

 

Programação no Museu Imperial

 

Documentários Globo Filmes/ GloboNews: 20:00h

Gabeira

Brasil – 2017 – 1h 15 min

Direção: Moacyr Góes

Através de entrevistas com personalidades como Armínio Fraga, Nelson Mota, Agnaldo Silva e Leda Nagle, o documentário traça a trajetória política e de vida do jornalista, escritor e político brasileiro Fernando Gabeira, conhecida principalmente por sua atuação junto ao Partido Verde, que ajudou a fundar no país.

Classificação Indicativa: 12 anos

 

 

 

Programação – Palácio de Cristal

 

Dia 21/10 – Sábado

Sessão  Cel. U. Cine: 20:00h

Festival de Micrometragens

Seleção dos principais filmes do Festival Cel.U.Cine serão exibidos em uma sessão de 30 minutos.

Brasil – 2017 – 30 min

Diretor: Vários

Panorama Nacional: 20:30h

Encantados

Brasil – 2017 –  1h17min

Direção: Tizuka Yamasaki

Com: Carolina Oliveira, Thiago Martins, Letícia Sabatella

Zeneida (Carolina Oliveira) é uma das filhas de um importante político do Pará. Com mais dez irmãos, ela se destaca por seu jeito atrevido, perseverante e teimoso em suas escolhas. Ela, por ser uma menina sensitiva, vê coisas que mais ninguém vê. Quando ela conhecer Caruana, uma figura encantada que encontrar na floresta, ela se apaixona e, a partir dali, começa a viver uma aventura mata adentro, ao mesmo tempo em que começa a entrar em um grande conflito com sua família, que a julga louca

Classificação Indicativa: 12 anos

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=NML3Y8FP-Fc

 

 

Panorama Nacional: 22:30h

 

Maverick: Caçada no Brasil

Brasil, EUA – 2017

Direção: Emiliano Ruschel

Com: Emiliano Ruschel, Larissa Vereza, Carla Elgert, Marcio Kieling

O investigador Jack Maverick (Emiliano Ruschel), acaba de iniciar uma nova e difícil missão: ele terá que investigar uma série de suicídios na cidade de Passo Fundo, no sul do Brasil, que aconteceram nos últimos meses. Mas a situação fica complicada quando ele descobre que os acontecimentos estão relacionados ao tráfico de drogas, fazendo parte de uma gigantesca conspiração envolvendo um conglomerado internacional.

Classificação Indicativa: 14 anos

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=dxNoDWqPnH0

 

Programação – Cervejaria Bohemia

 

Dia 21/10 – Sábado

Musas do Cinema Francês: 19:00h

Desejos Proibidos (Madame de…)

França – 1953 – 1h 45 min

Direção: Max Ophuls

Com: Danielle Darrieux

Paris, final do século XIX. Louise , esposa do general André, vende um par de brincos que ganhou de presente do marido para pagar suas dívidas. A joia volta então às mãos de André, que entrega à sua amante, Lola, que partirá em breve. Por fim, os mesmos brincos encontram o Barão Fabrizio Donati, um diplomata italiano por quem Louise cai de amores

Classificação Indicativa: 14 anos

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=fH1zLzsQLPc

 

 

 

 

Dia 22/10 – Domingo

 

Programação – Universidade Católica de Petrópolis

 

Documentários Globo Filmes/ GloboNews: 15:00h

Coragem! Muitas Vidas de Paulo Evaristo Arns

Pré Estréia

Brasil – 2017 –

Direção: Ricardo Carvalho

Dom Paulo Evaristo Arns foi um importante cardeal brasileiro que defendeu os Direitos Humanos, enfrentando o regime militar e construindo os centros comunitários na periferia para que a população de baixa renda de São Paulo se reunisse para que se organizasse e reivindicasse por seus direitos fundamentais.

 

Programação no Museu Imperial

 

Sessão – Respeitando as Diferenças: 16:00h

Apresentação e debate com o diretor Ernanis Nunes e elenco sobre o respeito as diferenças.

Exibição do filme: Gostosas, Lindas e Sexies

Brasil – 2017 – 1h 50 min

Com: Cacau Protásio, Lyv Ziese, Mariana Xavier e Carolinie Figuieredo

No Rio de Janeiro vivem quatro grandes e inseparáveis amigas: Beatriz, Tânia, Ivone e Marilu. Elas vestem manequim plus size e enfrentam todas as aventuras e desencontros amorosos e profissionais que quatro jovens mulheres podem enfrentar na capital carioca, (quase) sempre de bom humor.

Classificação Indicativa: 14 anos

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=ABuumBtBDjU

 

Programação – Palácio de Cristal
Dia 22/10 – Domingo
Painel: Adaptação Literária  Para o Cinema: 15:00h
Debatedores: Alexandre Fraga e Raphael Montes

Curtas Universitário de Petrópolis: 20:00h
Panorama Nacional: 20:30h
Divórcio
Classificação Indicativa: 12 anos
Brasil – 2017 –  1h 50 min
Direção: Pedro Amorim
Com: Camila Morgado, Murilo Benício, Luciana Paes
O casal Noeli (Camila Morgado) e Júlio (Murilo Benício) leva uma vida humilde, até que os dois ficam ricos depois de criar um molho de tomate que virou sucesso nacional. Com o passar dos anos os dois vão se distanciando e um incidente é a gota d’água para a separação. Enquanto vão em busca do melhor advogado para defender o patrimônio, os dois se envolvem num processo de divórcio complicado.
Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=i8pSKWlTIuk


Programação – Cervejaria Bohemia

Dia 22/10 – Domingo
Musas do Cinema Francês: 19:00h
Classificação Indicativa: 14 anos
Ascensor Para o Cadafalso (Ascenseur pour l’échafaud) França – 1957 – 1h30min
Direção: Louis Malle
Com: Jeanne Moreau

Florence ama Julien Tavernier e não seu marido, Simon Carala, homem rico e totalmente dedicado a seus negócios. Julien e Florence planejam o crime perfeito: Julien produz um álibi incontestável, mata Simon Carala e faz seu crime parecer um suicídio. Mas, o destino intervém e Julien fica preso dentro do elevador – o porteiro desliga a chave da corrente elétrica. Enquanto ele tenta escapar, um casal de namorados rouba seu carro e mata dois turistas alemães. A partir daí, Julien é procurado pelo homicídio que não cometeu. Ele será condenado? Primeiro longa-metragem de Louis Malle. Thriller noir, embalado pela música original de Miles Davis
Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=8uBjY9qpxA4

Print this entry

Ler mais
Crônicas

AS JANELAS E O TEMPO

A janela está aberta e o vento vai derrubando as coisas, todas elas. Fotos, papéis, uma caneta azul, uma caixa pequena, elásticos e um sem fim de coisas que vão parar no chão.

Quando finalmente fecho o vidro, me dou conta da bagunça: tudo espalhado!

Na verdade, ao invés de arrumar os objetos que foram lançados pelo vento, penso que seria melhor não fazer absolutamente nada.

É exatamente o que a maioria de nós faz: acertar tudo! Endireitar tudo! Organizar as coisas e o próprio tempo!

No entanto, não podemos organizar quase nada! Temos a pretensão de mexer em tudo e, milimetricamente, acharmos que é melhor que as coisas fiquem do jeito que consideramos melhor!

Me aproximo da janela e volto abrir o vidro. O vento, de novo, entra e recomeça o seu trabalho. Mais objetos vão ao chão. Mais folhas se misturam às fotos. E deixo que o vento cumpra o seu dever: ventar!

E eis o grande mistério de tudo isso: tudo assumirá uma posição e um formato, independente do nosso gosto ou desejo.

Fiquei a pensar na vida e na ânsia que temos de delimitar o tempo: o dia certo, o segundo perfeito, a semana tal, o mês do pagamento. E fechamos e delimitamos e organizamos milésimos…

Olhei para o relógio e não pude deixar de rir. A perseguição mais idiota de todas: um ponteiro que nunca alcançará o outro, salvo se o relógio quebrar, mas, se isso ocorrer, a função do próprio relógio deixará de ser!

E assim ficamos controlando o tempo e as pessoas, como se tivéssemos mesmo esse poder!

Dada a confusão no meu quarto, decidi que era hora de fechar em definitivo a janela e colocar de vez as coisas em seu lugar!

Depois de guardar item por item, sentei e comecei a rir de novo de nossa ingenuidade. Guardei tudo e tive a sensação de missão cumprida, entretanto, só mesmo a sensação. A vida, esta, nunca esteve contida no quarto ou delimitada por um vidro fechado!

 

Print this entry

Ler mais

Layout A (comb with C)

Entrevistas

Políbio Alves: um profissional da palavra

Ele insiste em dizer que é um profissional da palavra. Não duvidem. A palavra é a “massa” com a qual trabalha. Tão essencial quanto o seu respirar, lá do alto do edifício onde mora, pescando com o anzol dos olhos, todos os dias, o azul da praia de Intermares, bairro onde mora. Por estas plagas e plagas outras, todos sabem também que Varadouro (Poemas – 1989), o segundo livro, esse que diz não agüentar mais olhar porque, todas às vezes que olha, tem vontade de reescrevê-lo, é Políbio Alves, e Políbio Alves é o Varadouro.

Depois de morar por 20 anos no Rio de Janeiro, onde conquistou inúmeros prêmios nacionais – entre eles, o de Poesia Augusto Motta/1977, com Passagem Branca (Poemas), aparecendo em forma de livro somente no ano passado -, voltou a sua cidade, talvez, para poder ir à Cuba, apaixonar-se por Havana Velha, descobrir ali o seu eterno Varadouro e escrever um longo poema sobre a sua descoberta. Isso mesmo que vocês acabaram de ler: “É como se ter ido fosse necessário para voltar”.

(mais…)

Print this entry

Ler mais

Layout A (comb with D + slider)

Diversidade

BOOK FLAP

The sharp observation of the world and the sense exploration through the eyes of brat who is charmed and provoked by the challenge of a school girl’s beauty.

The character-teller takes courage, digresses and plans ways to conquer the girl’s admiral. Hercules jobs propelled by feelings filled with innocence. A love that blossoms, as it always happens, with not much to explain.

Writing for kids, or better, stating from them, more than rewarding and revealing, is the greatest literary exercise I have ever found. And it discharges over the author the truest of the reasonable comments.

I present you now, in bilingual version, my dearest text. For the kids who won’t let the sugar die in their lives. E for the adults, so they can miss it. After all, who can forget the smell of the rain on the sidewalk?

Thank you Mom Rosa for the eternal cord. Lunguinho for the fraternity. Dani for the devotion on translating. Lívia for the unconditional shoulder.

Conrad Rose
November, 15th,  2006.

(mais…)

Print this entry

Ler mais

Layout A (list)

Teatro

‘Extravasa, o Musical’, estrelado por crianças estreia no Teatro Arte Grimberg, na Barra da Tijuca

O espetáculo infanto-juvenil conta a história de um grupo de adolescentes internados em uma clínica de terapia intensiva

Ela só tem 11 anos, mas já constrói uma carreira de amor pela música, pelo teatro e pela cultura. Ela só tem 11 anos, mas já atuou em três musicais, incluindo o badaladíssimo Vamp, com estrelas do brilho de Ney Latorraca e Claudia Ohana. Ela só tem 11 anos, mas atua na vida artística com a mesma responsabilidade com a qual estuda no colégio – foi a única da série dela na escola a participar das Olimpíadas de Matemática e tirou o primeiro lugar num concurso de redação sobre cidadania, e seu texto representa toda a sua série num concurso nacional. Esta é Duda Santa Cruz, atriz e cantora mirim que conquistou o papel principal em “Extravasa, o musical”, que estreia no próximo sábado, dia 07 de outubro.

O espetáculo conta a história de um grupo de adolescentes que são internados em uma clínica de terapia intensiva. Cada um tem sua questão particular, de fundo psicológico ou problema familiar, e todos terão que conviver em harmonia durante uma semana de terapia em grupo. Para contar essa história, os personagens atuam, dançam e cantam músicas relacionadas ao drama que vivenciam e vão mostrar a superação de cada um com muito amor e amizade. A personagem interpretada por Duda é Raquel, uma menina revoltada com a vida, que gosta de andar de preto e odeia a tudo e todos, pois acha que ninguém a compreende. Toda essa amargura vem do fato de ter perdido a mãe para uma grave doença quando ainda era muito pequena, e seu pai, desamparado, não ter conseguido cuidar dela da mesma forma.

Musical é o quarto espetáculo da protagonista, a atriz e cantora mirim Duda Santa Cruz

Duda é fã de grandes musicais da Broadway, tais como Annie, Wicked, Les Miserable, Book of Mormon, Lion King, Matilda, School of Rock, Phantom of the Opera, Legally Blonde e Heathers. Gosta de ler Harry Potter, Biografias e livros sobre história do Brasil. Além de cursar a Escola Britânica, faz curso de teatro, aula de canto e de sapateado. Neste momento, ensaia duas peças e um espetáculo de dança ao mesmo tempo.

“Participei e passei em uma audição para o curso de teatro musical, Musical Theatre Masterclass, em Londres. Só não fiz porque fui selecionada no casting de Vamp e achei melhor, naquele momento, ficar no Brasil – mas no futuro estarei lá”, conta Duda Santa Cruz.

 

SERVIÇO
Extravasa, o musical
Dias 07, 08, 14, 15, 21 e 22 de outubro de 2017 (Sábados às 20h e Domingos às 19h)
Teatro Arte Grimberg
Rua Piolin, 116, Barra da Tijuca (em frente ao Shopping Metropolitano)
Ingressos antecipados à R$ 30.

Texto e Direção: Nado Grimberg
Direção Musical: Daniel Bandeira
Produção Executiva: Thamyris Cistaro
Coreografia: Angélica Chagas

Elenco:
Duda Santa Cruz (Matilda e Vamp, o musical)
Maitê Padilha, Apolo e Nathalia (Gabi Estrella)
Rafael Oliveira (finalista Xfactor)
Giovana (Matilda)
CeeJay (filho do Buchecha)
Felipe Adetokunbo, Vick Valentim, Biel Gava, Vitória, Daniel Henrique, Luiza Savatone (The Voice Kids)

Print this entry

Ler mais
Cultura Teatro

Para Onde Ir

Construído a partir do personagem Marmieládov, do romance Crime e Castigo, escrito pelo russo Fiódor Dostoiévski (1821-1881), e da trama de Uma temporada no inferno, do francês Arthur Rimbaud (1854-1891), o monólogo PARA ONDE IR marcou a estreia da atriz e produtora Viviani Rayes na direção e traz Yashar Zambuzzi no papel de Marmieládov.  Ambos são fundadores da Te-Un TEATRO e, entre vários trabalhos juntos, atuaram e produziram a aclamada Blackbird (David Harrower) que ficou em cartaz de 2014 a 2017.
“Sem dúvida, uma performance extraordinária, que certamente constituirá um marco na atual temporada. Quanto à direção de Viviani Rayes, esta merece ser considerada primorosa. A encenadora conduziu o ator com absoluta maestria, dele extraindo, uma atuação que produz um inesquecível encontro entre quem faz e quem assiste, essencial premissa da arte teatral”. – Lionel Fischer
A abordagem de temas como prostituição infantil, abuso, violência contra mulher, miséria, entre outros, é realizado com maestria retratando a atualidade contemporânea que muitas vezes nos foge aos olhos, ainda que em constante presença. “Para Onde Ir” é uma representação tênue entre o visceral e o brando, entre a ficção e a realidade, entre o poder e a perda, entre estender a mão e ignorar quem precisa de ajuda”. – Paulo Oliveira
Há mais de dez anos, Yashar estuda a transformação da literatura clássica em fenômeno cênico, especialmente as obras de Dostoiévski, pela importância de suas questões perenes sobre a condição humana. A concepção do espetáculo interliga Dostoiévski e Rimbaud a Bertold Brecht (1898-1956) o que faz da peça, segundo Viviani e Yashar, também uma homenagem à poesia crítica do poeta e dramaturgo alemão.
“O espetáculo marca o primeiro trabalho de direção de VIVIANI RAYES, a qual se inicia, na função, com o pé direito, totalmente cônscia de sua responsabilidade, permitiu que a narrativa dramática fluísse naturalmente, explorando os meandros da vida do personagem, traduzindo-os, em postura cênica”. – Gilberto Bartholo
O monólogo conta a história de Marmieládov, funcionário público, alcoólatra, que, após perder o emprego, vai beber numa taberna. Ele acompanha a chegada dos fregueses e aproxima-se ora de um, ora de outro, para contar-lhes as dificuldades que passa por conta do vício, a necessidade de sustentar sua família e as desventuras de sua vida. A peça dialoga com o público numa linguagem dinâmica e coloquial, promovendo um contato direto e desmistificador com dois grandes autores da literatura universal cujas obras têm, em comum, as situações extremas da vida.
Ficha Técnica:
Elenco: Yashar Zambuzzi
Texto: Dostoiévski e Rimbaud, fazendo uma homenagem a Brecht.
Adaptação e atuação: Yashar Zambuzzi
Direção: Viviani Rayes
Figurinos: Rogério França
Iluminação: Elisa Tandeta
Trilha Original: Chico Rota
Cenário: Yashar Zambuzzi e Viviani Rayes
Fotos de Cena: Lu Valiatti
Idealização: Te-Un TEATRO
Produção Executiva e Realização: Rayes Produções Artísticas

Dias, horários e valores:
Sexta às 19:00 – R$ 30,00 (Valor inteira)
Sábado às 19:00 – R$ 30,00 (Valor inteira)
Domingo às 19:00 – R$ 30,00 (Valor inteira)
Duração: 50 minutos
Temporada: De 07/07/2017 Até 23/07/2017
Contato: (21) 2220-0259
Classificação: 14 anos
Generos: Drama / Monólogo

Print this entry

Ler mais
Teatro

“Frida Kahlo, a deusa tehuana” estreia curta temporada no Centro Cultural Parque das Ruínas

Por Fábio Rodrigues

O espetáculo é dirigido por Luiz Antônio Rocha. Em cena, Rose Germano é acompanhada pelo músico Eduardo Torres, que toca violão e realejo.

Magdalena Carmen Frieda Kahlo y Calderón, conhecida apenas como Frida Kahlo (1907-1954), certamente, é daquelas artistas que ultrapassaram a popularidade adquirida com seu trabalho. Muito além das flores na cabeça e das saias longas, Frida deixou um grande legado para o mundo com suas pinturas, mas, em especial, para as mulheres. Símbolo da força e independência do universo feminino, apesar de todas as suas dores físicas e existenciais, ocasionadas pelos diversos problemas de saúde e por um casamento conturbado, continuava cheia de vida. Frida Kahlo pintou sua própria face um sem número de vezes e teatralizou a sua própria existência, sendo um exemplo de superação. No lugar do luto, vestiu-se de cores.

É um pouco dessa vida e obra – extremante ricas e inspiradoras – que estará em cartaz entre os dias 6 e28 de Maio – sempre aos Sábados e Domingos – no palco do Centro Cultural Parque das Ruínas, em Santa Teresa, no Rio de Janeiro, com o monólogo Frida Kahlo, a deusa tehuana”. O espetáculo tem como inspiração o diário e a obra da pintora mexicana e é composto por fragmentos de sua vida e de seupensamento. Um dos pontos centrais da montagem, dirigida por Luiz Antônio Rocha e com atuação de Rose Germano, é a busca pela construção de uma Frida humana, bem diferente da figura pop na qual foi transformada pela grande mídia no mundo inteiro. Por onde passou, o espetáculo obteve grande sucesso de público e crítica, além do reconhecimento internacional com destaque no principal Jornal do MéxicoEl Universal e na TV Mexicana.

A peça tem início com o prólogo de Dolores Olmedo Patiño, mulher responsável pela maior coleção de Frida Kahlo e Diego Rivera no mundo. Incumbida pela difusão do acervo do casal, Dolores também era apaixonada por Diego. Em cena, a atriz Rose Germano sobe ao palco acompanhada pelo músico Eduardo Torres, que toca violão e realejo.

“Frida Kahlo, a deusa tehuana”, compõe a primeira parte da trilogia “Corpo e Espírito”, baseada na pesquisa de Luiz Antônio Rocha sobre o sagrado na arte. Os outros dois monólogos são sobre os pintores Francis Bacon (“A mutilação do corpo”) e Kandinsky (“O espiritual na arte”).

A montagem do espetáculo foi longa e incluiu uma viagem de Rose e Luiz Antônio ao México, visitando a Cidade do México, Oaxaca e Teothihuacan, na qual encontraram a Frida que queriam montar. A pintora que transformou a dor em arte estava despida para dar vida à deusa tehuana.

O título do espetáculo é uma referência a uma mulher à frente do seu tempo: Enquanto as mulheres de sua geração seguiam as tendências europeias, Frida optou por um traje essencialmente mexicano. Exaltando a sua cultura, vestia-se de Tehuana, traje típico da região de Istmo de Tehuantepec no México, local onde as mulheres indígenas dominaram o mercado, lutando pela igualdade de direitos com os homens. Frida Kahlo adotava o vestido tradicional de Tehuana como uma declaração de solidariedade com estas mulheres. Sua luta e autenticidade a tornou um mito em todo o mundo. Todas as peças que compõem o figurino do espetáculo são autênticas, compradas em antiquários e artesãos indígenas da cidade de Oaxaca.

Ficha Técnica

Dramaturgia: Luiz Antonio Rocha e Rose Germano
Encenação: Luiz Antonio Rocha
Atuação: Rose Germano
Músico: Eduardo Torres
Iluminação: Aurélio de Simoni
Cenário, Figurinos e Direção de Arte: Eduardo Albini
Trilha Sonora: Marcio Tinoco
Direção de Movimento: Norberto Presta
Operador de Luz e Som: Alexandre Holcim
Assessoria de Imprensa: Ney Motta
Fotos: Renato Mangolin e Carlos Cabéra
Realização: Espaço Cênico Produções Artísticas

Confira abaixo, maiores informações sobre o espetáculo: “Frida Kahlo, a deusa tehuana”
Temporada: 6 a 28 de Maio. Sábado às 19:30h e Domingo às 19h
Local: Centro Cultural Parque das Ruínas – Rua Murtinho Nobre, 169, Santa Teresa
Ingresso: R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia)
Classificação indicativa: 16 anos
Mais informações: (21) 2215-0621

Print this entry

Ler mais
%d blogueiros gostam disto: